Segunda-Feira, 28 de Maio de 2018
STF e STJ sob suspeição de alianças com máfia
O mundo da corrupção no Brasil possui DNA como suspeitas de aliados dentro do STF e STJ com a máfia dentro e fora do Brasil
17/01/2018 | 13:54
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Não é somente a classe política envolvida nos maiores escândalos de corrupção já visto no Planeta. Bilhões de reais e até dólares em paraísos fiscais estão em jogo e no comando de corruptos e mafiosos que em conluio com agentes de vários segmentos da sociedade brasileira e fora do país, atuam de forma organizada em quadrilhas especializadas, aparelhadas com único objetivo: roubar dinheiro público- dinheiro do povo brasileiro.

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes dá plena demonstração de ser um possível aliado de vários mafiosos e com as solturas e repetidas vezes de comprovados corruptos, ladrões de milhões dos cofres públicos não somente do Rio de Janeiro, porém, em outros estados da federação; demonstra com isto não estar nem aí para o combate à corrupção e muito menos com prisão de mafiosos.

 

Uma petição em que pede o impeachment do ministro Gilmar Mendes (STF, já conta com maio de 1 milhão e 880 mil assinaturas e até a PGR - Procuradoria Geral da República já exige que o STF se manifeste com relação a postura das decisões polêmicas em que nada contribuem para com a Nação. Mas, o que se vê é uma postura diferenciada por parte do colegiado do STF que vira as costas e faz de conta de que livrar ladrões do dinheiro público no país é algo que não merece muita atenção e tão pouco punição. O mesmo ocorre com O Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

 

STJ sequer até hoje investigou algum governador. São 19 governadores investigados. Nenhum virou réu até hoje

O caso mais claro desta quase isenção de combate à corrupção é o do governador mafioso de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT). Ocorre que em dezembro passado o colegiado do STJ reunidos para deliberar sobre se aceitava ou não a denúncia de corrupção tão comprovadamente realizada pelas investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, mas que os ministros do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), não decidiram coisa alguma.

 

Vão apenas protelando o combate aos corruptos deixando-os favorecidos para que alcancem a tal prescrição. Na Operação Lava Jato dezenove governadores foram acusados de corrupção, recebimento de propinas milionárias, caixa dois de campanhas políticas, mas três anos se passaram desde início das investigações e até agora, já em 2018; não existe sequer um único governador réu. Sete casos já foram simplesmente arquivados.

 

Há suspeitas de influência e pressão política e mais ainda: de que rolaria muitos bilhões neste conturbado sistema de quadrilhas e mafiosos que atuam dentro e fora do meio político brasileiro. O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) que é o foro adequado e que julga governadores, sequer julgou algum até hoje. Isto demonstra algo muito grave. ou seja: qual é a função deste tribunal, questiona-se.

 

Esperar que Assembleias Legislativas autorizem abertura de inquéritos de investigações contra políticos mafioso e corruptos é o mesmo que esperar que ladrões de milhões de dinheiro público, retorne à origem de onde sacou a grana e simplesmente devolva integralmente o dinheiro roubado. Enquanto a sociedade brasileira espera por Justiça, plena, verdadeira, isenta; ao contrário; mafiosos e corruptos ainda continuam atuando e almejando permanecer em cargos públicos no sentido de buscarem a manutenção das atuações ilícitas e de enriquecimentos ilícitos - tudo com dinheiro público - dinheiro do povo brasileiro que paga caros tributos, taxas; impostos, etc.

 

A morosidade da Justiça contribui com o descalabro e infelizmente quem continua sofrendo as consequências são aqueles milhões de cidadãos que almejam de imediato uma melhor qualidade dos serviços nas áreas da Saúde; Segurança Pública; Habitação e Saneamento Básico; além de Geração de novas oportunidades de Emprego e Renda; salário justos e dignos para atender necessidades básicas de milhares de famílias em todo este país. Acabar com mordomias, auxílios-moradia; auxílios disto e daquilo para o Legislativo; Executivo e Judiciário.

 

O Brasil precisa mostrar ao seu povo e ao mundo de que é um país onde a Justiça se pratica de verdade e onde roubar dinheiro público é algo que envergonha e que leva ladrões à prisão assim como todos aqueles que são presos também por roubarem um pedaço de pão em algum lugar deste país.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar