Domingo, 21 de Outubro de 2018
ACIC, de Chapecó (SC), repudia gastos abusivos da Alesc e chama de indecentes e desnecessários
26/07/2018 | 18:23
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

A Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) compreende e reconhece a importância do Poder Legislativo nas três esferas da Administração Pública e seu papel na defesa da cidadania em uma sociedade livre e democrática.

A Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, entretanto, vem se destacando no cenário do Legislativo brasileiro pelos seus gastos excessivamente elevados.

De acordo com levantamento do Conselho Regional de Contabilidade (CRC/SC), o Poder Legislativo catarinense é o terceiro em gastos dentre todas as Assembleias das 27 unidades da Federação brasileira, ostentando o inacreditável dispêndio de 15,9 milhões de reais por deputado/ano. A manutenção da ALESC, portanto, custa aos catarinenses mais de 630 milhões de reais a cada exercício fiscal.

Na última semana, a opinião pública catarinense foi informada que os senhores parlamentares estaduais gozam da regalia de plano de saúde sem limites de gastos. Todo cidadão merece a melhor atenção em atendimento médico e hospitalar, mas os privilégios que os senhores deputados estão usufruindo – embora fulcrado em portaria – é inaceitável por ser flagrantemente ilegal e imoral.

Um Estado com tantas carências e contrastes, com deficiências de recursos públicos para atender as demandas emergências nas áreas de saúde, segurança, educação e infraestrutura não pode conviver com um legislativo perdulário, oneroso, viciado em benesses e privilégios insustentáveis.

 

É preocupante o autismo dos senhores parlamentares que demonstram viver em outra galáxia, ignorando as vozes das ruas e da sociedade civil. Basta lembrar o triste episódio da aquisição de um edifício pela Assembleia Legislativa no início deste ano, no valor de 80 milhões de reais, para alojar cerca de 450 servidores. Ignorando a crise econômica que vergasta o País, os legisladores queimam o dinheiro do contribuinte com gastos indecentes e investimentos totalmente desnecessários.

 

A Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) repudia essa conduta da ALESC e solicita ao Ministério Público de Santa Catarina adotar as medidas cabíveis para esses fatos, esperando que as eleições deste ano sirvam para a avaliação de cada agente público, pela população, e para a eleição de candidatos compromissados com o País. Esta é a nota pública divulgada nesta semana pela ACIC, de Chapecó (SC), sob presidência de Cidnei Luiz Barozzi.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar