Sábado, 17 de Novembro de 2018
MPF acusa economista Paulo Guedes por fraudes em Fundos de Pensões que tem rombo de R$ 70 bilhões
MPF e procuradoria acusam economista Paulo Guedes - indicado para ocupar ministério da Fazenda em eventual vitória de Bolsonaro; por fraudes em Fundos de Pensões
10/10/2018 | 10:22
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF), que realizaram juntos investigações para apurar o rombo em mais de R$ 70 bilhões relacionado aos esquemas criminosos; fraudulentos dos Fundos de Pensões ( Previ - Banco do Brasil; Petros - Petrobras; Funcel - Caixa Econômica Federal; e Postalis - Correios ); além do BNDESPar; acusam o economista Paulo Guedes o qual vem sendo indicado pelo candidato a presidente da República Jair Bolsonaro (PSL); para assumir o ministério da Fazenda num eventual governo de Bolsonaro.

 

O MPF acusa Paulo Guedes de associar-se a executivos para praticar fraudes bilionárias em negócios com os Fundos de Pensão de estatais e que em seis anos pelo menos somente o economista Paulo Guedes captou cerca de R$ 1 bilhão em operações suspeitas.

 

Um procedimento investigatório criminal por parte da Justiça Federal apura também que Paulo Guedes cometeu crime de gestão fraudulenta ou temerária de instituições dos Fundos de Pensão ; emissão e negociação de títulos imobiliários sem lastros e garantias. O esquema fraudulento contava com atuação conjunta de executivos destes Fundos de Pensão em forma de consórcio fraudulento, ou seja, uma quadrilha. O esquema apurado pelas investigações realizadas pela Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF); funcionava entre o período de 2009 a 2013.

 

Além de Paulo Guedes a Justiça Federal acusa vários outros agentes públicos, inclusive ligados ao PT e ao MDB. Guedes já vinha, segundo apurou o Jornal Folha de S.Paulo em reportagem desta semana; que indicava nomes para compor futuro governo de Bolsonaro (PSL), em caso de vitória nestas eleições.

 

Seriam adiantamento de esquemas futuros dentro do governo de Bolsonaro (PSL), para garantir continuidade das fraudes e benefícios, inclusive à empresa de investimentos do "Posto Ipiranga", destacou a reportagem da Folha de S. Paulo. O objetivo desta ação criminosa era garantir os favorecimentos aos seus negócios. A repercussão desta ação do MPF e da PF foi imediata e Bolsonaro (PSL), poderá rever a atuação em caso de vitória de Paulo Guedes na ocupação do ministério da Fazenda e Economia.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar