Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019
PF e MPF prendem cinco pessoas que atestaram a segurança da barragem que rompeu e que pode ter matado mais de 360 pessoas em Brumandinho (MG)
Investigações vão apurar responsabilidades criminais da tragédia da barragem Mina 1 Córrego do Feijão, da Vale S/A em Brumadinho (MG)
30/01/2019 | 23:19
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

A operação iniciada na manhã de terça-feira (29), pela Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF); cumpriram cinco mandados de prisões e apreensões realizadas em São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG). Foram presos os engenheiros Makoto Mamba e André Yun Yassuda; ambos da empresa alemã TÜV SUD, presos pela PF em Moema e Vila Marina, zona Sul de São Paulo (SP).

 

Em Belo Horizonte (MG), foram também presos na manhã de terça-feira (29); César Augusto Paulino Gradchamp; Ricardo de Oliveira e Rodrigo Arthur Gomes de Melo., funcionários da VALE S/A que estariam segundo as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, envolvidos diretamente no licenciamento da barragem Mina 1 Córrego do Feijão.

 

As ordens de prisões são temporárias com validade de 5 dias. Mas, é preciso avançar no quesito destas investigações relacionadas com a tragédia em Brumadinho (MG). O lobby formado por empresas do setor de exploração de minérios e hidrelétrico brasileiro onde muitas das empresas fizeram doações milionárias para campanhas de diversos parlamentares.

 

No Congresso Nacional, emperradas estão propostas que poderiam abreviar e evitar tragédias como as registradas em Mariana e agora em Brumadinho (MG) - Isto para não citar outras tragédias do gênero já ocorridas décadas atrás no Brasil. Novas prisões poderão ocorrer na medida em que avançam as investigações. Muitos documentos estão sendo analisados nestas investigações das autoridades neste caso que vitimou mais de 360 pessoas.

 

Laudo de estabilidade da barragem foi assinado em setembro de 2018

Um dos presos nesta operação da PF e do MPF, Ricardo de Oliveira atuava como gerente de Meio Ambiente, Saúde e Segurança em Minas Gerais. Juntamente com o gerente executivo operacional do Complexo de Paraopeba, em Brumadinho (MG), atuava também Rodrigo Arthur Gomes de Melo.

 

O laudo de estabilidade da barragem de Mina 1 Córrego do Feijão; foi emitida em setembro de 2018, atestando dano potencial " alto " de barragem 1 que rompeu em Brumadinho (MG). Este laudo foi assinado por César Augusto Paulino Gradchamp e o engenheiro civil e geotécnico Makoto Mamba. No documento Mamba destaca : " ... atesto a estabilidade da mesma em consonância com a lei 12.334 de 20 de setembro de 2010, portaria DNPM vigentes ".

 

Um documento da VALE S/S sobre a barragem Mina 1 Córrego do Feijão destaca esta barragem como sendo de classificação " B " e categoria de risco: " Baixo ". Auditoria Técnica de Segurança do 2 ciclo- 2018 RCSP -141/18 página 2/6 referindo-se à barragem 1 - que é a barragem Mina 1 Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), que rompeu no início de tarde de sexta-feira (25), registrando possibilidade de mais de 360 pessoas mortas - 58 corpos das vítimas desta tragédia foram resgatadas pelas equipes que atuam na região e outras 279 continuam desaparecidas, mas este número pode ser ainda maior.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar