Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019
Polícia Federal; Ministério Público e Receita Federal desbaratam quadrilha em Santa Catarina. Rombo aos cofres públicos podem ultrapassar R$ 100 milhões
Quadrilha envolvendo vários agentes públicos, alguns empresários; políticos e até advogados que atuavam no esquema de desvios milionários dos cofres públicos de SC; foram desbaratados
30/05/2019 | 19:28
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

A Polícia Federal deflagrou em Santa Catarina na manhã de quinta-feira (30), a operação que levou diante determinação da 1a. Vara Criminal Federal da Capital de Santa Catarina ( Florianópolis) - a "Ilha da Magia"; realização de 42 cumprimentos de mandatos de buscas e prisões de integrantes de uma quadrilha que desviava recursos financeiros dos cofres públicos de Santa Catarina.

 

Esta operação da PF em Santa Catarina busca combater crimes e fraudes em contratos de prestações de serviços de mão-de-obra à ao Governo do Estado de Santa Catarina e durante a gestão do ex-governador João Raimundo Colombo (PSD). A quadrilha desbaratada pela Polícia Federal nesta ação que contou com atuação de 45 auditores - fiscais e analistas tributários, além de 180 policiais federais e que atuaram em cidades como Florianópolis; São José; Antônio Carlos; Ituporanga e em Vinhedo (SP).

 

A Justiça Federal determinou apreensão de diversos imóveis de alto padrão; bloqueou contas bancárias; apreendeu vários veículos de luxo; duas motos e até motor aquático pertencentes aos envolvidos nesta operação. Onze pessoas foram presas pela Polícia Federal. Houve ainda nesta ação busca e apreensão no apartamento que pertence ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, deputado estadual Júlio Garcia ( que presidiu recentemente o Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina ), cujo órgão tem o papel fiscalizatório de contas do governo do Estado e também de prefeituras de Santa Catarina. Mais de R$ 100 milhões foram desviados dos cofres públicos neste esquema criminoso praticado pelos integrantes da quadrilha descoberta nesta ação da Polícia Federal; Ministério Público e Receita Federal.

 

A máfia que atuava nestes esquema criminoso de desvios de dinheiro público do governo do Estado de Santa Catarina no período entre 2009 a 2018, contava com vários agentes públicos e, inclusive conforme descobriu a PF e MPF, dentro da Secretaria de Estado da Administração e na Epagri ( onde cerca de R$ 3 milhões foram desviados no esquema criminoso praticado pela quadrilha). Os mais de R$ 100 milhões foram desviados, segundo as investigações através de créditos tributários em nome de vários contribuintes que participavam deste esquema criminoso de roubalheira milionária dos cofres públicos do Estado de Santa Catarina.

 

Fraudes licitatórias, superfaturamento, empresas fictícias, uso de "laranjas", enfim, a quadrilha que tinha até envolvimento de um escritório de advocacia que prestava serviços na lavagem de dinheiro e de pagamentos de propinas. Prestações de serviços privados a órgãos do Governo do Estado de Santa Catarina, incluindo na área de Tecnologia e fraudados de forma criminosa, incluindo também até uma empresa de publicidade de fachada e que servia ao esquema de desvios financeiros dos cofres públicos do Estado de Santa Catarina. Empresas inexistentes neste esquema foram descobertos pelas investigações da PF e do MPF, além da Receita Federal.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar