Sábado, 23 de Janeiro de 2021
SC começa 2021 sem apuração completa aos desvios milionários na obra da Ponte Hercílio Luz e do pagamento de 200 respiradores
04/01/2021 | 10:52
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Passa ano e vem ano e a roubalheira do dinheiro público no Brasil é avassaladora e nem mesmo a época da pior pandemia mundial que já matou somente no Brasil mais de 196 mil pessoas é capaz de fazer com que haja respeito à vida das pessoas que precisam dos serviços públicos e sofre impactos graves diante da falta destes recursos em diversas áreas, especialmente na Saúde. Em Santa Catarina, a roubalheira do dinheiro público como no caso do pagamento antecipado por parte do governo estadual no valor de R$ 33 milhões para 200 respiradores pulmonares junto a empresa Veigamend, do Rio de Janeiro, até hoje, sequer retornou aos cofres públicos a totalidade deste dinheiro desviado criminosamente dos cofres públicos do estado de Santa Catarina - dinheiro do povo que paga tributos e impostos, além de taxas públicas elevadas. E tem ainda o caso enigmático da obra de restauração da ponte Hercílio Luz - que levou cerca de 30 anos para conclusão desta obra e que há fortes indícios de que os custos ultrapassaram mais de R$ 1 bilhão e 220 milhões - dinheiro que saíram dos cofres públicos e que daria suficientemente para construir pelo menos duas novas pontes ligando a Ilha - Continente. CPI da Ponte Hercílio Luz foi concluída em meados de 2020 e entregue o relatório final ao Ministério Público do Estado de Santa Catarina ( MPSC). Até agora, nada de divulgação pública sobre o andamento interno no MPSC sobre este relatório que apontou indiciamento de 26 pessoas, entre vários agentes públicos; no setor privado relacionado às obras na Ponte Hercílio Luz e até o ex- governador Raimundo Colombo (PSD).

 

O relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito - CPI das obras de restauração da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis (SC), possui cerca de 10 mil páginas e teve a relatoria do deputado estadual Bruno Souza ( Novo ). O relatório da CPI da Ponte Hercílio Luz foi entregue ao MPSC através da presidência da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina - Alesc em meados de 2020. Foram várias sessões desta CPI da Ponte Hercílio Luz em que nas oitivas, deputados da comissão encarregada de acompanhar este trabalho investigativo sobre as obras de restauração da Ponte Hercílio Luz, acabaram ouvindo em muitos destes depoimentos várias contradições e deixando meio que propositadamente ou não muitas dúvidas em relação às atividades ali executadas na Ponte Hercílio Luz. Desde medição até aos pagamentos à terceirizados, bem com, da tipificação de atividades ali executadas até à falta de fiscalização em muitas destas atividades na Ponte Hercílio Luz. Teve sócios de uma empresa que traduziu bem as divergências ali ocorridas em muitas das situações na obra da ponte Hercílio Luz, tais como, sequer saber quem pagava e quem e de que forma recebiam os valores financeiros pagos pelo Governo do Estado e que em muitas fases desta obra envolvida até o antigo Departamento de Estradas e Rodagem - DER , já extinto há anos. Entre os anos de 2006 a 2020 ( isto para apenas 14 últimos anos ) - a reforma da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis (SC), contou com pelo menos 13 contratos diferentes. Vários foram os aditivos milionários para estas obras de reforma.

 

Reinaugurada em dezembro de 2019, a Ponte Hercílio Luz, foi entregue pelo governo estadual sob a gestão inicial de Carlos Moisés, sem plena conclusão de todos os serviços. Faltaram concluir a pintura e ainda falta a iluminação desta Ponte Hercílio Luz. E a passagem de veículos e ônibus sobre esta ponte ainda está delimitada por parte do governo estadual catarinense. A Polícia Militar a a Guarda Municipal realizam fiscalização do trânsito no local. Portanto, o ano de 2021 começa definitivamente com muitas dúvidas sobre para onde foram parar os R$ 33 MILHÔES PAGOS PELO GOVERNO DE SANTA CATARINA aos 200 RESPIRADORES, quem são os responsáveis pelo crime de pagamento antecipado à empresa Veigamed, quem recebera o montante do valor de R$ 33 milhões de reais e quanto às obras de restauração da Ponte Hercílio Luz, quanto de recursos foram desviados e quais foram as pessoas e ou empresas que cometeram atos ilícitos de desvios financeiros milionários nesta obra de restauração da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis (SC). A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF), devem ingressar nestas investigações afim de dar uma resposta à sociedade catarinense o mais breve possível. Não se é mais admissível e aliás, nunca deveria ser que dinheiro público seja roubado, desviado de forma criminosa como aos tantos casos que este Brasil infelizmente tem acompanhado através das inúmeras investigações já realizadas pela PF e pelo MPF além de equipes da GAECO combatendo a corrupção e combatendo a máfia, quadrilhas organizadas especialistas em desvios de dinheiro público, dinheiro do povo.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar