Quinta-feira, 30 de Junho de 2022
MORTE DE DOM E BRUNO E O POR QUÊ ? QUEM MANDOU MATÁ-LOS ?
MORTE DE DOM E BRUNO EXIGE RESPOSTAS: POR QUÊ ? QUEM MANDOU MATÁ-LOS ?
18/06/2022 | 9:37
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

A Polícia Federal (PF), informou a Imprensa na sexta-feira (17), de que as investigações realizadas não apontaram organização criminosa no caso do desaparecimento e morte de Dom Phillips e de Bruno Araújo Pereira. A UNIVAJA discorda desta posição da PF, destacando que desde o segundo semestre de 2021, já haviam informado e documentalmente à Polícia Federal (PF) e à Funai de que haviam uma atuação criminosa na região do Vale do Javari, incluindo ameaças à membros desta instituição, incluindo contra o Indigenista Bruno Araújo Pereira, que foi assassinado cruelmente e covardemente ao lado do Jornalista britânico Dom Phillips. A pergunta que ainda resiste na sociedade brasileira e internacional é : Qual ou quais as razões e ou quais os motivos e quem poderia ter mandado matar o Indigenista Bruno Araújo Pereira e o Jornalista britânico Dom Phillips ? As investigações da Polícia devem prosseguir até mesmo porque ainda falta prender um outro possível suspeito de ter participado no crime contra Dom Phillips e contra Bruno Araújo Pereira.

 


As investigações ainda estão ocorrendo em toda a região Amazônica e apurando se alguém mandou Amarildo da Costa (Pelado) e o irmão dele Oseney da Costa Oliveira, ambos de 41 anos de idade - suspeitos do assassinato do Jornalista britânico Dom Phillips e do Indigenista brasileiro, Bruno Araújo Pereira. O ex- servidor da Funai Bruno Pereira, após ser exonerado da Funai, logo após a operação da PF e da Funai que culminou com queima e destruição de várias embarcações que atuavam ilegalmente na região do Vale do Javari; passou atuar junto a UNIVAJA, na região do Vale do Javari, na Amazônia.

 

Dom e Bruno foram mortos após partirem da comunidade de São Rafael , no Vale do Javari ( Amazonas), na manhã de um domingo (05) de junho deste ano; num barco pelo Rio Itacoaí em direção à Atalia do Norte ( Amazonas ). Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira; foram segundo depoimento à Polícia por parte de um dos envolvidos no crime, o pescador Amarildo da Costa Oliveira, o qual confessou à Polícia Federal (PF) e à Polícia Civil da região do Javari; atuar no desaparecimento de Dom Phillips e de Bruno Pereira. O desaparecimento de Dom Phillips e de Bruno Pereira, ocorreu no dia 05 de junho ( um domingo ), quando os dois saíram num barco a motor navegando pelo Rio Itacoaí, entre as comunidades de São Rafael com destino à Atalia do Norte , no Amazonas, mas não chegaram ao destino e foi a partir daí que começaram as buscas e investigações por Bruno Pereira e Dom Phillips.

 

A Polícia Federal (PF), assim como a Polícia Civil da região do Amazonas; continuam investigando sobre a morte de Dom Phillips e Bruno Pereira. Atuam à partir da descoberta dos restos mortais de Dom Phillips e de Bruno Pereira, cujo material humano foram resgatados pela Polícia no local em que o suspeito Amarildo da Costa Oliveira (Pelado), acabou revelando à Polícia Federal (PF) e à Polícia Civil, investigando com cinco suspeitos, sendo três deles que estavam relacionados diretamente no ato da execução de Dom Phillips e de Bruno Pereira; sendo que um outro envolvido no crime atuou na ocultação dos corpos das vítimas e um outro também suspeito seria , segundo investigações o mandante do crime. As investigações continuam por parte da Polícia para prender outros suspeitos do envolvimento neste caso hediondo que culminou com os assassinatos de Dom Phillips e de Bruno Araújo Pereira.


Restos mortais de Dom Phillpis e de Bruno Perreira vão passar por perícias

Um avião da Polícia Federal (PF), com os restos mortais encontrados no Rio Itacoaí, no Vale do Javari, Amazonas, chegou na noite de quinta-feira (16), em Brasília (DF). Os restos mortais passarão por uma perícia junto ao Instituto Nacional de Criminalística, no Setor Policial Sul, em Brasília (DF). As buscas pelo Jornalista britânico Dom Phillips e do Indigenista brasileiro Bruno Pereira, na região do Javari, Amazonas, contou com uma mega operação conjunta, destacando equipes da Polícia Federal (PF), Polícia Civil de Atalia do Norte e de Tabatinga; além de vários moradores de comunidades ribeirinhas da região do Javari e de centenas de indígenas que vivem na região do Vale do Javari, bem como da entidade UNIVAJA que atua na defesa das comunidades Indígenas do Javari; equipes do Corpo de Bombeiros de Atalia do Norte e de Tabatinga; dentre outros como de vários militares do Exército Brasileiro e da Marinha.


" Caçada " a Dom Phillips e a Bruno Pereira teve perseguição e tiros, diz Amarildo à Polícia

Em depoimento à Polícia, o pescador Amarildo da Costa Oliveira, (Pelado), disse que a perseguição ao barco onde estavam o Jornalista inglês Dom Phillips e o Indigenista Bruno Araújo Pereira; teve perseguição; tiros e o barco desgovernado onde estavam Dom e Bruno.. Amarildo afirmou em depoimento que uma outra pessoa seria autora dos disparos que vitimaram Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira e que Bruno " revidou " com tiros. As informações são do Portal G1. e da TV Globo.


O MUNDO SENTE A PERDA DE DEFENSORES GIGANTES DA NATUREZA

Já castigada, assolada e destruída de forma avassaladora há décadas - a Amazônia, agoniza. Povos originários da Amazônia chora a perda dos grandes defensores da Natureza, das Florestas, da Biodiversidade como Dom Phillips e Bruno Araújo Perira - assassinados brutalmente, covardemente por bando de criminosos. O Restante do mundo democrático, civilizado e que defende a vida, defende a Natureza, defende um Meio Ambiente saudável também chora. É diante desta agonia e sofrimento diante dos olhos distantes de governantes, autoridades que deveriam defender as florestas e demais riquezas naturais do Brasil, principalmente a região Amazônica é que o mundo se manifesta e pede Justiça diante da morte de Dom Phillips e de Bruno Pereira. Ao contrário desta triste realidade e sofrimento; notadamente vê que a Amazônia está deixada de lado A Amazônia deixada nas mãos de exploradores e criminosos.

 

A Amazônia nas mãos de um poder ilícito onde predomina a força do tráfico de drogas que usam os vários rios que cortam essa região Amazônica para transporte de ilícitos. Amazônia - região essa explorada por extrações de minérios. Extrações de florestas. Práticas constantes de queimadas em áreas extensas nesta região Amazônica. Pesca ilegal. Caçadas ilegais, Enfim; uma Amazônia onde se perpetua infelizmente a exploração de suas riquezas que garantem sustentação à uma gama de criminosos sob o manto do poder financeiro e político a fim de continuarem os desmandos como apontam inúmeras das investigações e operação já realizadas principalmente pelo Ibama; Funai; Polícia Federal (PF); Ministério Público Federal (MPF), em toda a região Amazônica, assim como em outras áreas pelo restante do Brasil. A Natureza sente, a faina sente, a humanidade sente enquanto desumanos .... bem: desumanos não são capazes de ter sentimentos a altura da Justiça plena e verdadeira, Universal !

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2022 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar