Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Desafios políticos-partidários para 2018
Por Agnaldo Godoy
28/01/2018 | 21:31
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

São apenas oito meses da próxima eleição em todo o Brasil. Outubro aproxima-se com enormes desafios para partidos políticos quanto aos pré-candidatos que irão disputar estas eleições. Os reflexos são profundos diante da intensidade avassaladora dos escândalos de corrupção; formação de quadrilhas; roubalheira do dinheiro público - dinheiro do povo brasileiro.

 

Além disto; a existência já comprovadas também de práticas igualmente ilícitas como fraudes em licitações; fraudes em consultorias milionárias; fraudes em concessões por parte das esferas governamentais, sejam no âmbito federal quanto estaduais; conluio e muitas outros crimes praticados por centenas de políticos que respondem processos na Justiça. Isto muito mais comprovam que o Brasil precisa de uma profunda renovação política e partidária.

 

Principais partidos políticos estão no centro do furacão das investigações dos maiores escândalos deste país. Ou seja: desde mensalão (Ação Civil-470); Zelotes; Lava Jato e muitas outras destas investigações realizadas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal. Tem ainda as investigações espalhadas por todo este país onde equipes do GAECO com apoio do Ministério Público Federal, Ministério Público Estaduais; Polícias Civis e Militares atuam em conjunto levando muitos ladrões do dinheiro público para a cadeia e responderem processos na Justiça.

 

Portanto; desafios políticos existem e enormes destes desafios para estas eleições de outubro deste ano. Caberá aos partidos políticos promoverem uma reflexão sobre os novos rumos que o Brasil necessita e que são urgentes: Reformas profundas em todos os níveis de administração pública deste país. Os desgastes dos principais partidos políticos no Brasil são realidades eminentes e indiscutíveis. PT; PMDB (agora MDB); PP;PSDB;PP;PR;PSB;PCdoB;DEM;PDT; Pros; PRB e muitas outras siglas partidárias; sofreram uma espécie de baque diante de ver alguns de seus principais líderes políticos envolvidos em escândalos como da Lava Jato, por exemplo.

 

Então; caberá especialmente ao eleitorado brasileiro, a responsabilidade de antes de votar; averiguar com muita atenção o perfil de cada um dos futuros candidatos à cargos eletivos. Ver também por onde trilhou a trajetória destes candidatos. Com quem esteve acompanhado em eleições anteriores e se ocupara cargo público; quais compromissos públicos contribuíram de forma salutar em prol da população, seja municipal; estadual e ou federal.

 

Não basta tão somente assistir a propaganda gratuita eleitoral onde ali se promove de forma planejada e bem elabora como forma de mostrar ao telespectador e ao ouvinte em caso de transmissão pelo rádio durante o período que antecede as eleições, em que esta produção visa unicamente além de apresentar os candidatáveis que irão disputar as eleições; mais ainda; tentar manipular o eleitorado com vagas promessas que como se tem observado ao longo de muitas eleições; jamais serão completamente realizadas e concretizadas. Fosse assim; os hospitais em todo o Brasil não estariam na situação em que se encontram hoje.

 

Tão pouco a segurança pública estaria na realidade que se encontra em todo o país. Os graves problemas sociais e econômicos da maioria da população estariam resolvidos e não haveria mais de 14 milhões de pessoas desempregadas e outros milhões no subemprego e com salário mísero. O combate à roubalheira do dinheiro público não estaria nos patamares que vem seno desvendados pelas constantes investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Portanto, os desafios de partidos políticos que deixam de cumprir com maior rigor a fiscalização da atuação de muitos de seus próprios líderes que acabariam envolvidos em escândalos de corrupção; deverá nas próximas eleições, reverter esta triste realidade.

 

A continuar esta sistemática de roubalheira do dinheiro público, caberá à sociedade brasileira exigir de fato e de direito penas mais rigorosas para punir ainda mais as quadrilhas que se instalaram no sistema político-partidário e administrativo do Brasil. Assim como mafiosos e corruptos como Eduardo Cunha (MDB); Sérgio Cabral (MDB); e tantos outros como o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT); ex-ministro José Dirceu (PT); a prisão de dezenas de anos já demonstra que o Brasil realmente vem mudando e para melhor.

 

Mesmo que ainda leve algumas décadas, uma coisa é certa: não haverá mais espaços para ladrões do dinheiro público; pagamentos de propinas milionárias; formação de quadrilhas; superfaturamento de obras e serviços públicos; falsidade ideológica, dentre outros crimes que prejudicam a grande maioria do povo brasileiro.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar