Sábado, 17 de Novembro de 2018
Haddad (PT) representa continuísmo da corrupção e máfia. O povo não merece !
Por A. Godoy
01/10/2018 | 8:49
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Já diz um velho ditado popular: " Diga com quem andas e te direi quem és ". As eleições no Brasil mostram neste ano de 2018 exatamente esta realidade. Alguns candidatos à presidência da República mostram claramente na trajetória política com quem andavam e continuam andando juntos.

 

Vejamos: Fernando Haddad (PT), ingressou no PT em 1983, passou inicialmente ocupando na Secretaria Municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico de São Paulo (SP), na gestão de Marta Suplicy, durante período ( 2001 a 2003) - gestão pública marcada por denúncias de corrupção e levando o MPF condenar Marta por improbidade administrativa. Foi diante irregularidades em contrato licitatório.

 

O empresário e integrante da cúpula do PT de São Paulo (SP), na época , Willian Ali Chaim denunciou à Justiça irregularidades na Secretaria da Prefeitura de São Paulo (SP), que resultou na saída do secretário Carlos Zarattini. Na Lava Jato, Marta Suplicy (PT), escapou de parar na prisão por possuir mais de 70 anos. O Procurador Geral da República (PGR), na época Rodrigo Janot ; livrou tanto Marta quanto outros quatro acusados por delatores da Odebrecht, escaparem do risco de irem parar na prisão por práticas de recebimento de recursos financeiros não contabilizados para campanhas eleitorais entre 2008 e 2010.

 

Escaparam de serem presos José Agripino (DEM); Garibaldi Alves Filho (PMDB); Roberto Freire (PPS) e Jarbas Vasconcelos (PMDB). Marta Suplicy (PT), chegou a ter suspensos por três anos os direitos políticos por decisão da Justiça .E a trajetória de Fernando Haddad (PT) no meio político seguiu-se mantendo aliado a governos corruptos de Lula e Dilma (PT).

 

Vejamos: Haddad (PT), saiu da prefeitura de São Paulo para atuar no primeiro governo sob comando do mafioso e corrupto Luís Inácio Lula da Silva (PT). Na época José Genoíno Neto foi envolvido no escândalo de denúncias de compras de votos e deixou o governo Lula, assumindo o cargo ministerial Tarso Genro (PT), que também teve que deixar o governo logo em seguida - tudo diante denúncias de corrupção. Foi aí que Fernando Haddad (PT), assume o ministério da Educação. Lula reelegeu-se e Haddad continuou na pasta.

 

O continuísmo de proximidade com mafiosos e corruptos se manteve.Tanto é que Fernando Haddad ao disputar a prefeitura de São Paulo, acabou tendo o apoio no segundo turno das eleições de Gabriel Chalita - mencionado pelo Ministério Público por corrupção na Lava Jato em 2015 e também quando atuou na gestão do tucano Geraldo Alckmin (PSDB), na prefeitura de São Paulo (SP).

 

Denúncias estas contra Chalita junto a Justiça em que constaram desde propinas; reforma de um apartamento em troca de assinaturas de convênio na prefeitura paulista; pagamentos de despesas de viagens; fretamento de aviões e helicópteros e superfaturamentos em contratos. Chalita negou tudo à Justiça. Ao acompanhar e mostrar-se fiel aos governos mafiosos e corruptos do PT na gestão de Lula e de Dilma Rousseff (PT); Fernando Haddad (PT), representa exatamente esta tentativa de manter o continuísmo de governos corruptos e mafiosos que levaram o Brasil à pior crise de toda sua história.

 

Com Haddad (PT), Brasil se aproxima do quadro real da Venezuela; Cuba e Argentina: caos

Vejamos exemplos semelhantes ao que vem ocorrendo na Venezuela e na Argentina além de Cuba. Países pelos quais o povo enfrenta grave crise social, econômica e política. Na Venezuela a grande maioria da população foge da fome Foge das doenças e da miséria.

 

O Brasil acolhe assim como outros que abrem suas fronteiras para receber milhões de imigrantes venezuelanos; haitianos e até cubanos. Na Argentina, a ex-presidente Cristina Kirchner teve prisão decretada pela Justiça. E assim, os aliados de ideologia Bolivariana na América Latina estão mostrando como agem e como atuam no esquema criminoso de levar a grande maioria do povo à miséria absoluta.

 

Ao contrário, concentram poder e os bilhões saqueados dos cofres públicos como já se viu recentemente no Brasil diante das inúmeras investigações realizadas pela Polícia Federal em conjunto com o Ministério Público Federal. São tantas as denominações destas operações investigatórias que o povo brasileiro possui dificuldades em relembrá-las. Mas, as principais e maiores de roubalheira do dinheiro público foram o Mensalão; Zelotes e a Lava Jato.

 

Portanto: voltamos ao velho ditado popular : " Diga-me com quem andas e te direi quem és ". Haddad (PT), foi indicado de vice na chapa de Lula que não teve o nome registrado oficialmente na Justiça Eleitoral por estar condenado e preso em cela no presídio federal em Curitiba (PR), sendo que acabou Haddad tendo que disputar esta eleição em defesa de um projeto político contaminado, recheado de mafiosos e corruptos.

 

E, por outro lado, estão entre outros igualmente ligados com muitos mafiosos e corruptos Geraldo Alckmin (PSDB). Tanto é que o ex-presidente nacional do PSDB senador Aécio Neves; enfrentou uma sequência de onda de escândalos que chegaram a Justiça Federal. A gestão do governo Alckmin (PSDB), em São Paulo, não foi muito diferente a da gestão do PT.

 

E tem ainda Henrique Meirelles MDB), que representa o governo mafioso e corrupto de Michel Temer (MDB), que certamente ao concluir sua gestão governamental, terá pela frente o enfrentamento daquilo que semelhante foi com Lula (PT). Isto é: a Justiça Federal e o risco de ser preso.

 

Segue outros candidatos à presidência da República, porém, com menor grau de contaminação política. Marina Silva (Rede) chegou apoiar Aécio Neves (PSDB), no segundo turno da eleição presidencial recente. Foi algo que deixou muitos simpatizantes de Marina Silva indignados e o resultado agora se vê em todo o país.

 

Ou seja, sua baixa aceitação da candidatura como mostram as pesquisas dos principais institutos. Jair Bolsonaro (PSL), corre por fora deste lamaçal de corrupção e de estratégias políticas de alianças equivocadas tomadas por vários outros candidatáveis à presidência da República nas eleições de outubro de 2018. Bolsonaro (PSL), situa-se na oposição plena e completa ao sistema que o Brasil enfrenta há muitos anos. Crise esta cruel que a grande maioria do povo vem sofrendo diante dos elevados índices de criminalidade nas cidades e interior deste país.

 

Alto índice de desemprego e o elevado grau de corrupção e corruptos que sugam os cofres públicos deste país. O resultado desta crise deixada pelo PSDB; PMDB (MDB) e PT com seus aliados partidários; foram de milhões de pessoas a mercê da sorte. Não há saúde; educação; segurança pública e infraestruturas públicas adequadas para grande maioria da população brasileira.

 

Portanto; caberá a cada eleitor nestas eleições deixar de lado a questão partidária e deslumbrar, visualizar com responsabilidade o caminho que se deverá tomar a partir de janeiro próximo Ou continua ou muda de vez mesmo sob algum risco e riscos a cada dia existem em quaisquer situações.

 

Vejamos: tente sair a noite nas ruas do Rio de Janeiro; São Paulo; Florianópolis; Porto Alegre; Fortaleza; Recife; Natal; Porto Alegre e verás o eminente risco, seja a noite ou mesmo de dia O povo não pode ficar ilhado; aprisionado dentro de suas próprias casas, apartamentos. O Brasil, o povo deste país merece ser respeitado pelo agente político e seja ele quem for. Liberdade; democracia; paz, trabalho, Justiça, ordem e progresso à todos deste país.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar