Sábado, 20 de Julho de 2019
Hacners criminosos na mira da PF e CIA para desvendar o crime contra a Lava Jato
15/06/2019 | 18:36
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

As investigações já estão bem avançadas e que podem em breve desvendar a origem de quem praticou o crime cibernético de acesso as mensagens do Telegram em que conversas entre os juízes federais Deltan Dallganol e o agora ministro de Justiça do Brasil Sérgio Moro ( que anteriormente atuava na Operação Lava Jato), - o maior caso de corrupção já registrado no mundo com desvios, roubos de centenas de bilhões de reais dos cofres públicos e que atingiu diretamente mais de 200 políticos além de vários operadores do mercado financeiro, bem como; diversas empresas como exemplo a Petrobras; alguns bancos ( Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil); diversas empreiteiras principais do país; além de muitos outros agentes públicos envolvidos em práticas ilícitas tais como: ; corrupção; lavagem de dinheiro; superfaturamento de obras e serviços públicos, fraudes licitatórias; pagamentos e recebimentos de propinas milionárias; formação de organizações criminosas entre centenas de criminosos e ladrões do dinheiro público deste país.

 

Corruptos e mafiosos sendo presos, outros já presos e soltos sob prisão domiciliar.Outros destes mafiosos aguardando a decisão da Justiça Federal. Portanto; assim a Operação Lava Jato; através do vazamento de diálogos entre procuradores de Justiça e neste caso de Deltan Dallagnol Sérgio Moro; dentre outros também hackeados e parte de diálogos divulgados há cerca de uma semana pelo site The Intercept Brasil, poderá a partir de agora; abrir uma enorme lacuna de altos riscos quanto à segurança efetiva de uso de meios de comunicações.

 

A fragilidade exposta neste caso divulgado pelo The Intercept Brasil, mostra o quão haverão de estabelecer maior rigidez e segurança quanto às investigações que vem sendo realizadas especialmente pela Operação Lava Jato que ainda tem somente no decorrer deste ano de 2019 mais outras pelo menos 14 fases até final deste ano para serem realizadas e levar à prisão dezenas de mafiosos e corruptos. Polícia Federal e até a CIA já estão atuando nas investigações.

 

O crime de acesso a celulares, por exemplo; é algo extremamente grave. A imprensa investigatória pode recorrer a meios legais para obter informações relevantes e promover o furo de reportagem, porém, alimentar práticas criminosas é igualar-se a autoria de quem promove atos ilícitos, ilegais e que desta forma não contribui em nada com a democracia.

 

Pelo contrário: provoca a pior das ações criminosas, pois estabelece pé de igualdade aos criminosos que utilizam a prática de hackeamento e por somente promover desde roubos em contas bancárias; subtraindo milhares de reais, dólares e euros; bem como; obtenção de informações privilegiadas e de segurança até de um país; dentre outras que visam promover o benefício financeiro que quem usufrui destas práticas criminosas de hackeamento. Se estas práticas visassem sobretudo garantir o bem de uma sociedade como de combater o crime organizado; combater a corrupção e roubalheira do dinheiro público, certamente; haveria esta prática a possibilidade de alcançar o crédito e afirmação dentro de um mercado de trabalho em que houvesse uma garantia de que as informações fosse tornadas públicas de forma imparcial e completa.

 

Mas, não como vem ocorrendo em todo o mundo em que a prática de hacker são tidas como unicamente criminosas e que fere o direito de defesa de quem é alvo destas ações criminosas e que descobertas autoria, certamente deverão responder na Justiça. As penas especialmente no Brasil após esta ação criminosa, poderá endurecer de forma bem abrangente em termos de Justiça ainda mais que o próprio ministro da Justiça Sérgio Moro e muitos outros Procuradores de Justiça foram diretamente atacados e que deixa dúvidas se não haverão novos casos a partir desta que foi divulgada pelo The Intercept Brasil - que disse à Imprensa nesta semana após a divulgação de parte do diálogo que ainda tem muito mais a vir diante o volume obtido destas conversas entre Sergio Moro, Deltan Dallagnol e provavelmente muitos outros agentes públicos e até da iniciativa privada. O meio político; jurídico e privado brasileiro está em polvorosa a partir desta fragilidade de ações de hackers.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar