Segunda-Feira, 08 de Março de 2021
2022 não será 1964 onde governo militar teve apoio da máfia de Sarney e de outras quadrilhas
09/02/2021 | 22:14
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

A era do governo militar no Brasil passou e deixou uma lastro de como muitos mafiosos políticos se aliaram ao governo do regime militar para juntamente com outras quadrilhas de políticos da antiga ARENA, levar o país ao caos. Ali, instalou-se o núcleo criminoso de políticos audaciosos e aproveitadores, corruptos, mafiosos e que levaram o Brasil ao caos até os dias de hoje. Desemprego; roubalheira do dinheiro público e formação de quadrilhas dentro e fora do meio político - administrativo deste país.

 

E pior de tudo que a chamada oposição; aos poucos mesmo criando resistências ao regime militar da década de 60, 70 e dos anos 80, conseguiram muitos dos opositores assim que chegaram ao poder com a chamada redemocratização do Brasil; seguir ainda de forma mais grave as práticas criminosas, ilícitas : fraudes bilionárias licitatórias; conluios; formação de organizações criminosas; fraudes desde eleitorais a começas nas urnas com trocas de cédulas e elegendo quem a máfia almejava eleger para manterem-se no poder político- administrativos ( municipais; estaduais e até federal).

 

Portanto, 2022 não se deve repetir nem época do regime militar e tão pouco repetir governos dizendo-se democráticos, mas de um bando de quadrilhas nunca antes instaladas no Brasil Basta ver casos desde Fernando Collor ( hoje aliado de Bolsonaro ); passando por outros ex-presidentes da república tais como Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff ( ambos do PT) e após Michel Temer (PMDB- atual MDB).

 

E teve casos de corrupção também em governos na gestão de José Sarney; Itamar Franco e da gestão de Fernando Henrique Cardoso, Portanto: o Brasil agora sob comando de Jair Bolsonaro ( sem partido ), por enquanto; já alia-se ao bloco de partidos do chamado Centrão onde concentram-se boa parte de políticos oportunistas almejando cargos e ministérios e mais ainda: almejando as chaves dos cofres dos recursos públicos.

 

Não por acaso ali no centrão estão muitos dos políticos com processos tramitando na esfera do Judiciário após resultados de investigações realizadas pelo Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal (PF), e que são denunciados por crimes que vão de lavagem de dinheiro, passando por caixa dois de campanha eleitoral até formação de quadrilha. São este tipo de políticos oportunistas e carreiristas muito deles e que estão aliados ao governo Bolsonaro. E se o Brasil, o povo brasileiro ou pelo menos a grande maioria do povo deste país quiser de fato e realmente alcançar mudanças estruturais, políticas com gestão administrativas mais responsáveis e transparentes e comprometidas com a resolução dos graves problemas históricos desta Nação Brasileira, deverá promover muito mais faxina e a começar nas urnas, nas eleições, poiso que fez até agora, foi meia - faxina; faltou muita água e muito sabão, além de vassouras a fim de varrer boa parte de maus políticos, mafiosos e corruptos deste país.

 

O vírus da corrupção, da roubalheira do dinheiro público continua infelizmente e nem na pandemia gravíssima se é respeitada como demonstraram inúmeras investigações em todo o país. E que a esfera do Poder Jurídico, especialmente do STF e do STJ não sejam tão complacentes, deixando no esquecimento muitos processos indefinidos, sem conclusão contra muitos dos mafiosos e corruptos deste país. Afinal, o povo brasileiro já não aguenta mais tamanha envergadura de facilidades que mafiosos e corruptos possuem neste país, sem que haja uma punição devida por parte da Justiça, com raras exceções alguns mafiosos estão hoje presos. Alguns !

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar