Quinta-feira, 16 de Setembro de 2021
Brasil com cepas perigosas além da Covid-19: no meio político
(*) A. Godoy
26/06/2021 | 16:43
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Assim como em biologia e genética, linhagem, estirpe, cepa refere-se a um grupo de descendentes de uma espécie que possui ancestral comum e compartilham semelhanças morfológicas ou fisiológicas. provocam mutações significativas e vão formando novas gerações. Assim como ocorre na ciência como a que a humanidade vem enfrentando diante do novo coronavírus Covid-19 (SARS CoV-2 ), e que já provocou inúmeras variantes, cepas sendo algumas mais perigosas do que a original, surgida na China, há mais de 1 ano e meio atrás; também no meio político e especialmente no Brasil; há uma espécie de várias cepas sendo algumas altamente perigosas e que provocam, inclusive mortes. Afinal, muitos destes vírus políticos roubam milhões, bilhões dos cofres públicos e é dinheiro que falta para atender as demandas urgentes e necessárias na Saúde; Segurança Pública; Educação; Habitação; geração de emprego e renda; Meio Ambiente; enfim- dinheiro roubado por organizações criminosas que possuem aliados políticos e até no meio judiciário como já foi descoberto por várias das investigações já realizadas pela Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público Federal (MPF). Daí, a suspeita de razões para tantas concessões de habeas corpus para muitos corruptos e mafiosos que saquearam cofres públicos neste país. Portanto, além da gravidade das variantes da Covid-19, o Brasil e digo, o povo brasileiro em sua absolutamente grande maioria sofre uma outra pandemia: a da corrupção e da impunidade.

E agora faltando apenas pouco mais de 12 meses para a eleição presidencial de outubro de 2022, nota-se claramente que muitos políticos aliados do presidente da República Jair Bolsonaro ( que poderá filiar-se brevemente no Patriota ); estão desembarcando de forma sorrateiramente de aproximar-se da figura do presidente Jair Bolsonaro , inclusive em eventos públicos como em Santa Catarina na recente visita de Bolsonaro em Chapecó (SC). Mas, por outro lado, muitos aliados de Bolsonaro que o ajudaram elegê-lo e foram literalmente na garupa da eleição passada onde Bolsonaro mantinha na época alta aceitação popular- bem ao contrário da elevada rejeição que atualmente vem ocorrendo, segundo recente pesquisa divulgada pela imprensa nacional; e que continuam mantendo esta aproximação enquanto o governo federal puder despejar dinheiro público em obras pelos estados do país. Algo que aliás, não faz mais do que obrigação por efeito do cargo que foi eleito para buscar resolução aos graves problemas do país. O mais intrigante, entre tudo, é ver um vice-presidente da República sendo ignorado pelo presidente da República Jair Bolsonaro quando desde início deste ano Hamilton Mourão, sequer teve oportunidade de participar de uma reunião ministerial por falta de convite de Bolsonaro. Isto é mais do que uma falta de respeito e consideração ao general Hamilton Mourão, cuja personalidade ilibada contribuiu para eleição da chapa que elegera presidente Jair Bolsonaro.

Ao desprezar seu vice-presidente da República para manter forte aliança com vários políticos corruptos e mafiosos que estão respondendo processos na esfera da Justiça Federal, como exemplo, do atual presidente da Câmara Federal e como ocorreu também com o anterior presidente da Câmara Federal, dentre outros igualmente respondendo a processos por corrupção; lavagem de dinheiro, caixa 2; e que fazem parte do Senado Federal; assim como ocorre também na própria Câmara Federal. Estes são alguns dos fatores que estão colocando o presidente da República Jair Bolsonaro em queda nas pesquisas pré-eleitoral de 2022. Isto sem contar outro agravante: o menosprezo e desrespeito para com as vítimas da Covid-19 em todo o país e por subestimar a pandemia chamando-a de " gripezinha" - quando esta doença da Covid-19 já provocou mais de 510.000 mil mortes no Brasil. Uma " gripezinha " ( sic) para lá de letal ! Infelizmente, o presidente Bolsonaro, o qual deveria desde início desta pandemia ser o exemplo de como deve-se prevenir de um vírus como a deste imensamente gravíssimo; não o fez, pelo contrário; agora; sofre o efeito de uma visível derrota nas urnas em 2022. O Brasil pode estar perto de livrar-se de dois vírus : o primeiro e principal o da Covid-19. O segundo, menos grave, porém, perigoso para a sociedade brasileira é o de reeleger Bolsonaro e tem outro também perigoso que é o de eleger novamente Luis Inácio Lula da Silva - outro vírus político que já mostrou o lastro de danos ao país. O Brasil tem saída para a crise social e econômica, além de crise ética política, jurídica: basta a grande maioria do povo deste país assumir mais seu papel relevante de coadjuvante na transformação deste país para melhor. Ou seja: cabe a cada cidadão tomar maior consciência de quanto é extremamente importante o voto, importante uma escolha política capaz de dar respostas a altura na solução dos graves problemas deste país.
Discursos mentirosos, enganosos; apenas visando o voto do eleitor é algo que deve ser do passado. O povo quer respeito !
(*) Jornalista

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar