Sexta-feira, 22 de Março de 2019
Assembleia Legislativa de SC possui dezenas de marajás
Super - salários pagos com dinheiro público abastecem marajás da Assembleia Legislativa de Santa Catarina
02/02/2017 | 3:29
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), possui um reduto de marajás dos mais bem pagos do país. Já em 2012 existiam na Alesc 286 servidores com salários acima de R$ 10 mil por mês. Mas isto nem parece muito para outras dezenas de servidores desta Assembleia Legislativa de SC que recebem salários acima de R$ 31 mil por mês.

 

Há casos que o salário atinge mais de R$ 35 mil reais mensais e beneficia um marajá que ingressou em 1992 na Alesc como Técnico Administrativo, disputou eleição para deputado estadual. Foi eleito, chegou à presidência da Alesc e elegeu-se deputado federal , chegando após à aposentadoria. Os benefícios e as progressões elevam os salários dos marajás da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), em valores muito expressivos se comparado à média dos demais salários de trabalhadores deste país. E tem mais: quase 200 servidores da Alesc sequer possuem curso superior e recebem salários acima de R$ 10 mil por mês. Outro fator preocupante está relacionado com a suspeita de pagamentos de aposentadorias fraudulentas e que está sendo investigada pela Justiça. Na Alesc, quase 70 marajás recebem salários acima de R$ 22 mil por mês.


Impacto destes super salários em SC atinge R$ 1,8 milhão por mês

O impacto destes super salários pagos com dinheiro público estadual catarinense atinge cerca de R$ 1 milhão e 800 mil por mês. Os super salários dos marajás não atinge tão somente a Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina ( Alesc). Recentemente até a Câmara Municipal de Florianópolis, reagiu contra alguns super-salários na faixa de R$ 40 mil mensais pagos à marajás. Um projeto que tramita no Senado Federal pretende acabar com o chamado " Extra-teto " salarial.

 

A Constituição Federal estabelece limite máximo salarial a ser pago na faixa de R$ 24 mil reais por mês. O teto salarial para Conselheiros e Auditores substitutos; Juízes; Desembargadores; Promotores e Procuradores de Justiça do Ministério Público do Estado de Santa Catarina em 2015 era de R$ 30.471,10 mensais. Até um requerimento oriundo da Alesc atendendo a um pedido do deputado estadual Dirceu Dresch (PT), em que solicita informações à Corte de Contas e, cujo relatório por parte do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE/SC), foi concluído em 27 de outubro de 2015, porém, considerado incompleto.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar