Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
Ponte Hercílio Luz - MP/SC pede restituição de R$ 230 milhões aos cofres públicos. Quatro empresas e oito pessoas tiveram bens bloqueados
Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis (SC); consumiu quase R$ 1 bilhão em 36 anos de espera da conclusão da restauração. MP/SC pede restituição de R$ 230 milhões aos cofres públicos
18/12/2018 | 16:29
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Ministério Público do Estado de Santa Catarina (MPSC), pede restituição aos cofres públicos de SC o valor de R$ 230 milhões e decidiu bloquear bens de quatro empresas e oito pessoas. A decisão foi da Promotora Pública da 1a. Vara da Fazenda Darci Blatt, autora da ação na Justiça e foi divulgada com exclusividade na manhã de terça-feira (18); pelo jornalista Raphael Faraco, no Bom Dia Santa Catarina, do NSCTV.

 

Segundo a Promotora de Justiça, foi constatado nas investigações sobre as obras de restauração da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis (SC), - a " Ilha da Magia "; a " ganância com os aditivos ", bem como, as verbas públicas consideradas " estratoféricas escancaradamente abusivas ".

 

Lembrou ainda da falta de fiscalização por parte de quem deveria prestar uma rigorosa fiscalização com as obras e investimentos na Ponte Hercílio Luz. O bloqueio para restituição de R$ 230 milhões aos cofres do Estado de SC Foram bloqueados bens de quatro empresas: Construtora Espaço Aberto; Prosul; CSA Group e Concremat Engenharia e Tecnologia e do empresário Paulo Almeida.

 

Também foram bloqueados bens dos ex- presidentes do DEINFRA (Departamento de Infraestrutura do Estado de Santa Catarina) Romualdo França Júnior e Paulo Roberto Meller; dos engenheiros do DEINFRA Wenceslau Diotallévy e Antônio Carlos Xavier, bem como, do ex-servidor público estadual Nelson Luiz Giorno Picanço e da assessora jurídica do DEINFRA Lyana Cardoso. Há décadas, mais de 30 anos, portanto, as obras de restauração da Ponte Hercílio Luz, na Capital do Estado de Santa Catarina (Florianópolis); vem sendo uma fonte duvidosa da aplicação correta de milhões de recursos públicos do governo de Santa Catarina.

 

Vários governantes passaram neste período nebuloso relacionado às obras de restauração da Ponte Hercílio Luz- considerado o principal cartão postal de Santa Catarina.

 

Segundo foi divulgado à imprensa, o Enquanto isto, o governo do Estado de Santa Catarina clama por falta de recursos para investimento nas áreas da Saúde ( hospitais públicos na beira do caos); Educação onde vários prédios escolares da Rede Estadual de Ensino; estão precisando urgentes reformas; na Segurança Pública onde faltam urgentes investimentos e valorização salarial dos profissionais que atuam nestas ambas áreas do serviço público estadual catarinense e por fim; o governo que está deixando o cargo através de Pinho Moreira (MDB), deixa o estado à beira do caos com dívidas públicas absurdas e que merecem ampla e profunda investigação.

 

Uma auditoria independente deveria ser realizada em todos os órgãos públicos do Estado de Santa Catarina. Os gastos por exemplo com divulgação, mídias além de consultorias públicas já daria um bom começo destas investigações, inclusive com apoio e o trabalho da Polícia Federal e do próprio Ministério Público Estadual.

 

Para se ter dimensão dos gastos que governos dos últimos pelo menos 30 anos fizeram com pagamentos de consultorias diversas atinge cifras totais que ultrapassam a faixa de R$ 1 bilhão. Em média cada governante do Estado de Santa Catarina pagou em cada gestão cerca de R$ 130 milhões somente em consultorias e somando pelo menos 8 gestões daria perto de um total de R$ 1 bilhão. É muita gastança com dinheiro público estadual.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar