Sábado, 04 de Julho de 2020
Preso mais um na Operação Oxigênio que apura fraudes da compra dos respiradores fantasmas em SC de R$ 33 milhões
Preso mais um na Operação Oxigênio que apura fraudes da compra dos respiradores fantasmas em SC de R$ 33 milhões
07/06/2020 | 17:16
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

A Polícia prendeu na manhã de domingo (07), em Sorocaba (SP), Fábio Deambrósio Guasti, suspeito do envolvimento na comercialização fraudulenta de 200 respiradores pulmonares chineses através da empresa Veigamed, do Rio de Janeiro, ao Governo do Estado de Santa Catarina através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), e onde foram pagos antecipadamente pelo governo de SC R$ 33 milhões no início de abril deste ano. O esquema criminoso foi descoberto e divulgado pelo Intercept e após investigado pela mega operação da Polícia (DEIC) de Santa Catarina; Ministério Público do Estado de Santa Catarina; Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina e que já levou à prisão no sábado (06), o ex-secretário de Estado da Casa Civil Douglas Borba e também o advogado Leandro Barros.

 

A operação Oxigênio investiga o crime diante uma sofisticada organização criminosa com objetivo de desviar recursos públicos na área da Saúde diante desta terrível pandemia do novo coronavírus Covid-19 em que milhares de pessoas no Brasil e no mundo estão sendo vítimas em Santa Catarina a situação desta pandemia da Covid-19 já é preocupante devido ao elevado número de pessoas portadoras deste vírus ( são mais de 11.000 mil pessoas ) sendo mais de 160 mortes pela doença no estado catarinense.

 

A ocupação dos leitos em hospitais públicos em Santa Catarina atinge índices acima de 65% e somente nestes últimos dias é que começam chegar respiradores pulmonares na maioria dos hospitais públicos do estado, cujos aparelhos foram fabricados em Joinville, pela empresa Weg e adquiridos pelo governo do Estado de Santa Catarina por preços bem mais acessíveis do que aos pagos antecipadamente à Veigamed, com preço superfaturado na ordem de 85% acima do valor real.

 

A máfia que atua no Brasil em vários estados desviando recursos públicos especialmente da Saúde, onde quadrilhas, organizações criminosas se aproveitam desta triste crise de saúde pública para obterem dinheiro desviado criminosamente. Algo repudiável; inaceitável e que merece rigor da punição por parte da Justiça Federal. As investigações desta operação Oxigênio continuam até que haja total devolução dos R$ 33 milhões aos cofres públicos do Estado de Santa Catarina e que todos os responsáveis pelo esquema criminoso sejam todos eles punidos pela Justiça.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2020 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar