Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Governo de SC dá calote, diz SINTE
Desrespeito do Governo de Santa Catarina ao acordo com o SINTE que representa o Magistério Estadual, deixa perplexos educadores
28/10/2015 | 1:29
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Um dos pontos do termo de compromisso assinado pelo governo ao final da greve de 2015 foi que anistiaria as faltas das atividades e mobilizações sindicais, portanto assembleias regionais, assembleias estaduais e atos públicos também seriam anistiadas.

 

Já na reunião da mesa de negociação do dia 11 de junho, o tema foi tratado, e a ata da reunião registra a fala expressa do governo sobre o assunto, deixando muito claro que seriam tornados sem efeitos para progressões funcionais os acentos de faltas por motivo de “mobilizações, atos e assembleias”. Novamente na última reunião da mesa de negociação, não obstante aos demais pontos da mesa, os representantes do governo voltaram a assumir que as faltas relativas a todas as datas relativas às paralisações, inclusive atos e assembleias, seriam incluídas para liberação no abono para progressões.

 

Para a surpresa geral, ao aplicar o acordo, a SED manteve apenas as datas abaixo:
— 14; 15 e 16 de março de 2012 – greve nacional
— 23 de abril à 05 de maio de 2012 – greve do magistério catarinense
— 23; 24 e 25 de abril de 2013 – greve nacional
— 17; 18 e 19 de março de 2014 – Greve nacional
— 24 de março à 03 de junho de 2015 – Greve do magistério catarinense.

 

Causa indignação e perplexidade a falta de seriedade, pois nem os pontos mínimos e reiteradamente acertados com o sindicato estão sendo respeitados. Frente ao não cumprimento do acordo, a Executiva do SINTE/SC, está empenhada na cobrança dos pontos acordados com o governo.

 

Como poderemos pregar seriedade e ética dentro das salas de aula, se os responsáveis pela educação não demonstram confiabilidade e não respeitam os compromissos assumidos com o magistério catarinense.

 

Neste sentido neste dia 28/10, quarta-feira a executiva do SINTE-SC, estará novamente na SED buscando solução para mais esse impasse, que prejudica exatamente àqueles que realmente tratam a educação e suas políticas com seriedade, por entenderem a importância de debater e defender uma educação que respeite educadores/as e educandos/as.
Ao não repassar o reajuste do Piso Nacional e não honrar os acordos firmados na mesa de negociação, o Governo Colombo/Deschamps impõe 0% de reajuste aplicando um calote em mais de 35 mil trabalhadores/as.

 

" Não baixaremos a cabeça. Vamos nos mobilizar e enfrentar os verdadeiros inimigos da Educação", diz a nota divulgada pelo SINTE - Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Santa Catarina, e divulgada nesta última terça-feira,27 de outubro de 2015.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2017 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar