Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
STF autoriza abertura de investigação contra futuro ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni (DEM-RS)
Primeiro foi José Dirceu (PT), da Casa Civil. Agora, chega a vez do futuro ministro da pasta Onyx (DEM-RS), ser investigado pelo STF a pedido da PGR
05/12/2018 | 6:21
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Brasil vai de mau a pior. Quando se espera que haja uma mudança e quebra de paradigma contra atos ilícitos praticados na área política- administrativa do Brasil; e isto abrange todo o território nacional nas mais diversas áreas: ( executivo; legislativo, judiciário e setor privado), novamente vem a tona denúncias. Desta vez o Supremo Tribunal Federal (STF), autoriza abertura de investigações contra o futuro ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

 

Denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) e aceita pelo STF através de decisão do ministro Edson Fachin. Onyx Lorenzoni (DEM-RS), é investigado por suposto recebimento de dinheiro na forma de caixa 2 de campanha política no período de 2010 2014.

 

Delação premiada constante do processo investigatório da Lava Jato em que delatores da empresa JBS - controlada pelo grupo J&F, destacaram apoio financeiro através de uso de caixa 2 para o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS). A Casa Civil teve atuação de José Dirceu (PT), e que acabou sendo preso por corrupção; lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

 

Atualmente o ex-ministro José Dirceu (PT), está sob regime de prisão domiciliar e aproveita o período livre para lançar um livro de sua autoria pelo país. O governo de Jair Bolsonaro (PSL) que chega ao governo federal a partir de janeiro de 2019; sob a responsabilidade maior de dar pleno combate a corrupção; combate à criminalidade que assola o Brasil, bem como, combater com rigor as desigualdades sociais deixadas como herança maldita de governos mafiosos e corruptos desde José Sarney (PMDB/Hoje MDB); passando por outros igualmente corruptos e mafiosos como de Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (MDB).

 

Bolsonaro terá agora que administrar o Brasil com a missão maior de estabelecer um novo rumo ao país em que haja rigor no combate especialmente a corrupção, lavagem de dinheiro; caixa 2 de campanhas políticas; criminalidade e de organizações criminosas; dentre outros atos ilícitos tais como de superfaturamento de obras e serviços públicos, bem como de crimes fiscais. O Brasil precisa ainda de profundas reformas e revisão ampla do Código Penal ampliando principalmente punições para graves crimes praticados neste país.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar