Domingo, 22 de Outubro de 2017
Máfia da Boca Livre engole milhões da Lei Rouanet
Polícia Federal prende mafiosos que desviaram mais de R$ 170 milhões em fraudes na Lei Rouanet
28/06/2016 | 19:37
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Uma operação conjunta realizada pela Polícia Federal e Controladoria Geral da União e denominada " Operação Boca Livre", deflagrada na manhã de última terça-feira,28, levou á prisão 14 pessoas envolvidas em fraudes milionárias oriundas de recursos através da Lei Rouanet. O desvio de recursos federais, segundo as investigações alcançam mais de R$ 170 milhões de reais e até festa de casamento foi paga com recursos da Lei Rouanet.
A Operação Boca Livre da PF e da CGU; detectou fraudes em projetos culturais com benefícios de isenção fiscal previstos na Lei Rouanet. Foram expedidos pela Justiça 14 mandados de prisão temporária e 37 mandados de busca e apreensão em São Paulo; Rio de Janeiro e no Distrito Federal.
A festa de casamento ocorreu numa das áreas nobres e turísticas em Florianópolis (SC). Os mandados foram expedidos pela 3a. vara Criminal de São Paulo. A máfia poderá ficar até 12 anos na prisão.

                                Operação  Boca Livre com a Lei Rouanet provoca prisões

A máfia da "Boca Livre" engoliu milhões de recursos federais e além disto envolve também vários eventos festivos privados para grandes empresas; livros institucionais; festas de casamentos; shows com artistas famosos - tudo pago com recursos oriundos da Lei Rouanet e com uma série de irregularidades.
A organização criminosa responderá por crimes de peculato; organização criminosa; estelionato contra a União; crime contra a ordem tributária; falsidade ideológica e as penas na prisão podem chegar até 12 anos de reclusão, ou seja, atrás das grades em presídios tanto em São Paulo; Rio de Janeiro e no Distrito Federal onde concentram-se a organização criminosa.
Há suspeitas também de uma série de crimes envolvendo a Lei Rouanet dentro do Ministério de Cultura e que estão sendo ampliadas  as investigações por parte da Polícia Federal e da Controladoria Geral da União - CGU. Se ampliadas estas investigações em todo o país; muitas outras fraudes e organizações criminosas similares poderão serem apontadas e responsabilizadas levando os criminosos destas fraudes responderem na Justiça.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2017 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar