Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2018
Cerca de 20 mil pessoas prestigiam o Motoneve 2018, em Lages (SC)
Estes números se referem na passagem de pessoas no Parque de Exposições Conta Dinheiro, em Lages (SC), durante os três dias do evento
15/07/2018 | 21:37
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Os motores roncaram mais alto nesse final de semana em Lages (SC). O 23° Motoneve atraiu dezenas de grupos de motociclistas de vários Estados, principalmente do Sul do país, e milhares de amantes desse estilo de vida. De sexta a domingo o Parque de Exposições Conta Dinheiro contou com uma programação especial que agradou ao público.

 

Quem visitou o Motoneve, em Lages (SC), prestigiou atrações como a feira de produtos especializados, show de motociclismo, gastronomia, festival de balonismo, apresentações de dez bandas locais e confraternização entre os participantes. Dentro do parque uma choperia foi montada, pelo terceiro ano consecutivo, animando ainda mais a programação e tornando-se um ponto de encontro.

 

A estimativa dos organizadores é de que, nos três dias de evento, cerca de 20 mil pessoas circularam pelo Parque, considerando que a pulseira que dá acesso valeu pelos três dias. "Estamos muito felizes com o resultado. Recebemos grupos até da Argentina, de Minas Gerais e dos três Estados do Sul. A rede hoteleira teve um incremento e isso é muito bom pra cidade", comenta Sérgio Boscato, um dos organizadores, juntamente com Paulo Todeschini e suas respectivas esposas, Luci e Jussara.

 

A prefeitura de Lages (SC), através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, apoiou o evento.

Paixão pelo motociclismo

Com objetivo de aproximar essas pessoas que têm a paixão pelo motociclismo como algo em comum, o Motoneve virou ponto de encontro e de histórias. Marioli Matos é um apaixonado por moto desde a juventude, há cerca de 48 anos. Ele é integrante de dois grupos, o Relâmpago do Asfalto, de Lages, e do Moto Campo, de Campo Belo do Sul. "Quando jovem emprestava as motos dos amigos, eles tinham as RDs 350, que eram chamadas de Viúvas Negras. Depois comprei minha própria motocicleta e nunca mais parei. Via filmes relacionados ao tema, de viagens pelo mundo de moto e ficava encantado" conta. Pra ele, o que mais o motiva a participar dos grupos é a irmandade que existe entre os integrantes.

 

O ex-policial rodoviário federal, Amauri Vieira da Silva, mantém essa paixão desde quando entrou no grupo de motociclistas da PRF. Já participou da guarda de eventos importantes como os Jogos Panamericanos e Parapanamericanos, as Olimpíadas, a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014, além da visita do Papa no Brasil. "O que me move é a liberdade que o motociclismo proporciona. Sentir o vento batendo é algo indescritível", comenta.

 

Foto: Pakinha.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar