Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Conselheiros apontam contribuição do VI ENTC - realizado em Florianópolis (SC), para evolução do controle externo no País
Conselheiros apontam contribuição do VI ENTC para evolução do controle externo no País
05/12/2018 | 6:28
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

“Sucesso de público e de crítica”. A manifestação do vice-presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC), conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira Júnior, sobre a realização do VI Encontro Nacional dos Tribunais de Contas (VI ENTC), em Florianópolis (SC), de 28 a 30 de novembro, é uma síntese das avaliações de conselheiros e conselheiros substitutos do TCE/SC, bem como da procuradora-geral do Ministério Público de Contas (MPC-SC), Cibelly Farias, feitas na sessão plenária desta segunda-feira (3/12).

 

Adircélio disse que acompanhou os esforços do presidente da Corte de Contas catarinense, conselheiro Dado Cherem, e de sua equipe, desde o planejamento da programação, e os parabenizou pelos resultados do encontro em favor do aprimoramento do controle externo brasileiro.

 

O conselheiro César Filomento Fontes — o primeiro a se manifestar — cumprimentou o presidente pela organização do VI ENTC e registrou a repercussão positiva do evento, que reuniu cerca de 800 pessoas, no CentroSul, para debater o futuro dos TCs, com foco na inovação, integração, prevenção e eficiência do controle e da gestão pública.

 

A importância histórica do encontro, a qualidade da organização, a relevância das abordagens e dos palestrantes, o comprometimento dos servidores envolvidos na realização, a programação sócio-cultural — que contou com uma apresentação do Ballet Bolshoi de Santa Catarina — e a percepção quanto ao elevado nível de satisfação dos participantes também mereceram destaque em registros dos conselheiros José Nei Alberton Ascari e Wilson Rogério Wan-Dall, e dos conselheiros substitutos Gerson dos Santos Sicca e Sabrina Nunes Iocken.

 

Contribuição

O conselheiro Ascari, supervisor da Ouvidoria do TCE/SC, ainda mencionou o lançamento, durante o evento nacional, do novo aplicativo para celular que facilita a interação da sociedade com o Tribunal. Por meio da ferramenta, o cidadão poderá remeter críticas ou sugestões sobre a atuação do órgão de controle externo, solicitar informações ou denunciar irregularidades na gestão de recursos públicos. “É uma ferramenta importantíssima nesse momento que estamos vivendo”, destacou, ao apontar o apoio da presidência ao projeto da Ouvidoria.

 

Integrante da comissão social do VI ENTC, Wan-Dall agradeceu os cumprimentos que recebeu de seus pares, durante a sessão, pela qualidade da programação sócio-cultural, e se associou aos demais na avaliação positiva do encontro. “Foi um evento que deixou uma marca muito boa para Santa Catarina”, considerou.

 

O conselheiro substituto Gerson Sicca ressaltou a contribuição do evento para o avanço do controle social, em especial no âmbito do monitoramento da aplicação dos recursos públicos na manutenção e desenvolvimento do ensino.

 

Ele se reportou aos debates promovidos na oficina voltada ao controle externo da área e ao documento, assinado durante o encontro, que oficializa a orientação para que os gestores municipais priorizem os investimentos na educação infantil e no ensino fundamental em todo o Estado. Também salientou a cessão, ao TCE/SC, do uso do aplicativo do “Programa Na Ponta do Lápis”, do TCE/MG.

 

A ferramenta permite que integrantes da comunidade escolar denunciem problemas em escolas, inclusive por meio de fotos, para estimular a atuação do controle social, e, segundo adiantou o conselheiro substituto, se estuda a possibilidade da solução do TCE/MG ser integrada ao novo aplicativo da Ouvidoria do TCE/SC.

 

A conselheira substituta Sabrina Nunes Iocken cumprimentou os organizadores pelo êxito da iniciativa e destacou as abordagens da programação que enfatizaram a importância das ações, no âmbito da gestão pública, voltadas ao alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) — Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Locken defende que o controle das contas municipais contemple a necessidade de integração das redes de políticas públicas, com ênfase nos planos nacionais de educação e saúde e nos ODS e considera o tema prioritário para a pauta do controle externo brasileiro.

 

Ao parabenizar a presidência e a todos que se envolveram na organização do encontro nacional, a procuradora-geral de Contas, Cibelly Farias, salientou o alto número de inscritos e a participação de membros do Ministério Público de Contas de vários estados brasileiros, além de agradecer à presidência do TCE/SC pela cessão do espaço físico e de toda logística de apoio para a realização do encontro de seus pares, no dia 28 de novembro.

 

O evento foi uma promoção conjunta da Associação do Membros do Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC), com o apoio do Instituto Rui Barbosa (IRB), da Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios (Abracom), da Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas (Audicon), além da Federação das Indústrias do Estado (Fiesc) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A Carta de Florianópolis consolida as atividades e decisões do VI ENTC.

 

Fonte: ASCOM/TCE.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar