Quarta-Feira, 24 de Julho de 2019
Ministros Dias Toffoli e Alexandre de Moraes (STF), estampam escárnio e derrapam na curva da censura que mancha a história do Judiciário
Censura ! Ato Inconstitucional - o primeiro ato de censura após ditadura e pelo ministro Alexandre de Moraes (STF). Brasil sob risco eminente da volta à ditadura
17/04/2019 | 19:59
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Censura, censura, censura, censura, censura, censura, censura e censura. O Ato Inconstitucional - o primeiro após a queda do período ditatorial no Brasil, retorna com risco eminente de plena ditadura no Brasil. A decisão monocrática e arbitrária contrariando a Constituição Brasileira, praticado diante do que ocorreu com canetaço do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Alexandre de Moraes (STF), ao exigir imediata retirada de reportagem divulgada tanto pela Revista Crusoé e o site O Antagonista, que divulgaram em matéria a citação feita pelo empresário, o mafioso e corrupto Marcelo Odebrecht em que disse em depoimento à Polícia Federa (PF) l e ao Ministério Público Federal (MPF), em Curitiba (PR), onde citou a frase " o amigo do amigo de meu pai", referindo-se conforme constou no depoimento ao hoje ministro do STF Dias Toffoli que na época das investigações sobre obras da Odebrecht no Rio Madeira ( leia-se Usina Belo Monte), a de destaque na região; repercutiu ambas divulgações destes dois veículos de comunicação do país e que o ministro Dias Toffoli (STF), nada gostou desta citação e pedindo ao colega ministro do STF Alexandre de Moraes a punição contra a Revista Crusoé e ao site O Antagonista para que retirassem imediatamente as publicações que davam ênfase ao assunto.

 

Documentos dentro do processo comprovam o que disse Marcelo Odebrecht. estranhamente logo após a publicação, parte do texto dentro do processo foi excluído.

 

Decisão no STF em censurar abre portas e caminhos para o retorno da ditadura e desta vez a ditadura do Judiciário

O caso repercutiu em seguida em todo o país e até no exterior em que a decisão abriu caminho de volta à ditadura - só que desta vez uma ditadura por parte da maior Corte de Justiça do Brasil. Ou seja, o Supremo Tribunal Federal. O tribunal de exceção que acusa e julga ao mesmo tempo. Somente em países ditatoriais existe esta espécie de atitude jurídica. A Procuradoria Geral da República (PGR), através da Procuradora Geral Raquel Dodge solicitou ao STF imediata suspensão da decisão arbitrária.

 

Mas, o presidente do STF Alexandre de Moraes, não aceitou e manteve a decisão. O Senado Federal também reagiu contra a decisão do ministro do STF . No Senado Federal, a reação foi imediata e já está sendo aberta uma Comissão Parlamentar de Inquérito - CPI, a "CPI da Toga ", para investigar tribunais superiores, especialmente nestes casos o STF e o STJ, principalmente.

 

A concessão de dezenas de habeas corpus para vários mafiosos e corruptos tem sido amplamente criticada pela sociedade brasileira, além das várias ocorrências de prescrições de crimes contra o patrimônio público, especialmente de desvios de bilhões dos cofres públicos deste país. O Ato considerado Inconstitucional em que o ministro do STF Alexandre de Moraes realizou em favor do colega ministro Dias Toffoli, fez também com que no STF esteja sendo requerido que uma decisão desta amplitude seja analisada por todo o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) e não, apenas por uma decisão monocrática. Isto é: apenas um ministro decide o que fazer e especialmente numa situação melindrosa como desta contra a Revista Crusoé e ao O Antagonista. Censurar a Imprensa jamais ! Censurar a liberdade de Imprensa é censurar a voz dos cidadãos deste país. O Brasil passa pela faxina e não escapa nem um cidadão que esteja praticando atos ilícitos e ilegais e , portanto, não somente a classe política, empresarial ou do Judiciário, estão imunes a legislação federal. Ninguém é dono da lei ou sozinho faz a lei. A lei é ampla e irrestrita. Volta à ditadura no Brasil jamais ! Até o próprio presidente da República Jair Bolsonaro (PSL), manifestou-se surpreso e contra este tipo de atitude tomada por um ministro do STF. Também o ministro de Justiça Sérgio Moro, destacou publicamente contra a esta decisão do ministro do STF em censurar a Imprensa. As defesas de ambos veículos censurados já recorreram para que o STF reverta esta decisão arbitrária do ministro Alexandre de Moraes.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar