Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019
Lages (SC), está entre as quatro cidades menos violentas de Santa Catarina
O município só perde para Jaraguá do Sul, Brusque e Tubarão, que estão entre as 20 cidades menos violentas do país
11/08/2019 | 18:58
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

A qualidade de vida, tão buscada pelas famílias, passa também pela sensação de segurança, uns dos fatores mais lembrados na hora de elencar as melhores regiões para se viver. Com ares de cidade interiorana, Lages apresenta um ranking positivo com relação à taxa de homicídios. Ocupa o quarto lugar entre as cidades catarinenses menos violentas com mais de 100 mil habitantes, de acordo com o Atlas da Violência 2019. O estudo foi elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e divulgado nesta segunda-feira (5 de agosto), após um levantamento com 310 cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes. Lages (SC), só perde para Jaraguá do Sul

 

O município só perde para Jaraguá do Sul, Brusque e Tubarão, que estão entre as 20 cidades menos violentas do país. Dentre as 310 cidades pesquisadas, Jaraguá aparece ocupando o quarto lugar, enquanto Brusque está em quinto e Tubarão, no Sul do Estado, em 15ª posição.

 

A pesquisa levou em consideração um conceito de taxa de homicídio que considera o número de mortes por agressão, além do número de óbitos provocados por intervenção legal e o número de homicídios ocultos ou mortes violentas sem causa determinada, que podem ser homicídios, suicídios ou mortes causadas por acidentes. 


Proximidade entre PM e poder público trás resultados

O tenente-coronel Alfredo Nogueira dos Santos, comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar de Lages, aponta que estas cidades têm em comum a proximidade entre o sistema de segurança e o poder público, firmando convênios que auxiliam no trabalho da polícia e os aproximam cada vez mais da comunidade. “É uma parceria essencial para a resolução dos conflitos da cidade, embora sejamos uma força de âmbito estadual. Investimentos em códigos e postura, redes de prevenção e cursos de motivação das tropas surtem muito efeito e temos atuado com esta estratégia”, afirma.

 

Atualmente a Polícia Militar conta com três convênios firmados com o Município. O primeiro deles é com a Diretoria de Trânsito (Diretran), onde as autuações de trânsito são revertidas em verba para aplicação no policiamento da cidade, principalmente em serviços de trânsito. Outros convênios é o de rádio patrulha, com recursos para a manutenção do serviço, e também a fiscalização de ambulantes, com relação direta com o código de postura, garantindo uma cidade ordeira, principalmente em eventos e datas especiais, onde há grande comercialização informal pelas ruas.

 

O convênio mais recente é a cota de contribuição voluntária através da conta da água, em parceria com a Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa). O valor debitado é investido especificamente em serviços operacionais. “Para nossa alegria, com estes recursos já conseguimos comprar um veículo que está ajudando muito no patrulhamento da cidade, e também adquirimos mais três motos para incremento na equipe de motociclistas”, relata o comandante.


Programas aumentam sensação de segurança da população

A vida social da comunidade pode ser muito melhor aproveitada se as pessoas se sentirem mais seguras. E esta é uma das preocupações da Polícia Militar de Lages, com presença iminente em grandes e pequenos eventos, proximidade com a vida comunitária e escolar e também no meio rural. “Hoje oferecemos à comunidade lageana todas as redes de proteção previstas pela Polícia Militar”, lembra o coronel.

 

Entre os programas ativos está o Proerd, com trabalho de prevenção às drogas com alunos do 5° ano do ensino fundamental. Outro ponto forte é a Rede de Vizinhos Protegidos, com mais de três mil pessoas cadastradas. Trata-se de uma estratégia de policiamento que utiliza a tecnologia a seu favor, com baixo custo e apresentando ótimos resultados. Crimes como assalto à mão armada a transeuntes, roubos a estabelecimentos comerciais, prédios e residências e arrombamento de veículos apresentaram reduções em suas ocorrências nos locais que aderiram à rede.

 

Lages também conta com a Rede de Segurança Escolar, que é um programa de prevenção voltado ao ambiente escolar público, que contam com uma patrulha específica para este fim, e a Rede de Segurança Rural, atuando no interior do município.


Investimento e cuidados especiais diminuem violência contra a mulher

Há alguns anos Lages carrega o rótulo de ser uma das cidades com maiores índices de violência contra mulheres no Estado, com feminicídios sendo registrados anualmente. Aos poucos esta realidade está mudando, através de investimentos do poder público no apoio, acompanhamento e cuidados com as vítimas, aliados às medidas de prevenção da Polícia Militar.

 

Lages é a primeira e única cidade catarinense que criou uma secretaria municipal específica para tratar deste assunto. Desde 2017 a Secretaria de Políticas para Mulher vem fazendo a diferença, atuando no apoio e acolhimento de mulheres vítimas da violência doméstica.

 

Em parceria com a PM, através da Rede Catarina de Proteção à Mulher, apresenta bons resultados. Quando acontece a denúncia ou o chamamento da equipe pela própria vítima, a PM é acionada a e acompanha o resgate, com total segurança em sua residência.

 

Esta rede de parcerias faz com que o atendimento prestado seja de excelência, dando todo o suporte e estrutura, tanto físico como psicológico. Uma equipe multiprofissional, com assistentes sociais, psicólogos, cuidadores e assistentes jurídicos, está a postos para orientá-las e encaminhá-las. Um plantão 24h pode ser acionado, através do telefone (49) 9 8402 – 9413. “O alinhamento da polícia com a equipe da Secretaria está fantástico, e isso mostra que trabalhar em equipe pode ser muito positivo”, finaliza o comandante Alfredo.


Municípios catarinenses (População) – Taxa de homicídios em SC:
1 Brusque (128.818) 5,8%
2 Jaraguá do Sul (170.835) 5,5%
3 Tubarão (104.407) 8,1%
4 Lages (158.508) 8,8%
5 Criciúma (211.369) 11,3%
6 Balneário Camboriú (135.268) 14,0%
7 Blumenau (348.513) 14,1%
8 Chapecó (213.279) 18,0%
9 São José (239.718) 19,6%
10 Joinville (577.077) 22,4%
11 Itajaí (212.615) 22,6%
12 Palhoça (164.926) 27,9%
13 Florianópolis (485.838) 30%

Texto: Aline Tives / Fotos: Nilton Wolff/Arquivo PM

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar