Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
Estaria o STF aliando-se à máfia no Brasil ?
Decisões surpreendentes do STF mostra favorecimento para quadrilhas que promovem saques aos cofres públicos do país
12/10/2017 | 2:15
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Supremo Tribunal federal (STF) tem mostrado à sociedade brasileira e ao restante do mundo decisões absurdas em favorecimento para muitos mafiosos e corruptos que promovem saques milionários dos cofres públicos no país. Os mais recentes casos são vergonhosos para a Nação brasileira. Vejamos os mais recentes desta semana como do STF não acatar denúncia contra o ex-presidente do Senado Federal, senador Renan Calheiros (PMDB) - que responde a 11 inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), sendo um deles ligados a Lava Jato e outro a operação Mésis em que o senador Renan Calheiros é acusado de receber propinas de R$ 90 milhões.

 

Quatro colaboradores denunciaram em forma de delação premiada à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal (MPF). Renan calheiros (PMDB), nega à Imprensa as acusações. O STF também desconsiderou e sequer julgou uma denúncia entregue pelo ex-Procurador Geral da República Roberto Gurgel, cuja denúncia de corrupção contra o senador Renan Calheiros (PMDB), ficou engavetada, parada no Supremo Tribunal federal (STF), algo que facilita para prescrição dos crimes praticados.

 

Outra decisão do STF que surpreende o esforço que o Brasil vem realizando no combate à corrupção foi a decisão do STF em dar liberdade ao mafioso e corrupto empresário do setor de transportes coletivos do Rio de janeiro Jacob Barata Filho que sai da cadeia para o recolhimento domiciliar noturno - caso semelhante ao do senador Aécio Neves (PSDB) que está em regime de recolhimento noturno domiciliar.

 

Há algo de estranhamento diante destas decisões por parte do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode sob suspeita de pressão por parte de mafiosos que tentam escapar da prisão mesmo que tenham que submeter para supostos pagamentos milionários de propinas no sentido de obterem vantagens ilícitas livrando-os da carceragem.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2017 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar