Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Trio no STF favorável à mafiosos passa decisão para STJ que prolonga decisões até alcance de prescrições
Toffoli; Gilmar Mendes e Lewandowski decidem pela liberdade dos mafiosos José Dirceu (PT) e João Cláudio Genu (PP). Passam ao STJ sob risco de prescrição
21/08/2018 | 21:18
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

E assim mafiosos e integrantes de organizações criminosas no Brasil vão ganhando tempo diante de decisões como a exemplo de mais uma das dezenas até agora registradas recentemente. Na terça-feira (21), os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli; Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, decidiram conceder liberdade aos mafiosos e corruptos já presos José Dirceu (PT), ex-ministro da Casa Civil em governos petistas e do ex-tesoureiro do Partido Progressista (PP) João Cláudio Genu, igualmente mafioso e corrupto, ambos presos na Operação Lava Jato por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, além de organização criminosa. Com esta decisão do trio mais aliado de concessões de habeas corpus à mafiosos e corruptos denunciados pela Justiça Federal ao STF; o que se coloca em maior risco a partir disto é que o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) que cerca de 20 anos tão somente levou à prisão um parlamentar condenado à prisão por corrupção.

 

E pior ainda: as prescrições como a de um deputado federal que ficou preso desde fevereiro deste ano e que foi solto no início de agosto justamente por haver prescrito a prática de crime. ou seja, mais de 17 anos atrás. E como exemplos outros está o de agora ocorrendo com o ex-ministro da Casa Civil José Dirce (Zé Dirceu), do PT e também com o ex-tesoureiro do PP João Cláudio Genu. Já, os ministros do STF Edson Fachin e Celso de Mello votaram pela manutenção da prisão dos dois mafiosos e corruptos.

 

O mafioso José Dirceu (PT) possui pena de mais de 30 anos de prisão e Genu mais de 9 anos de prisão. Agora, nas mãos do STJ, o processos tem tudo para alcançar prescrição dependendo da boa vontade e esforço do combate a corrupção tão lenta por parte destas duas instituições: STF e STJ - aliados salvo exceções de alguns ministros que têm demonstrado pleno interesse na aplicação justa das leis ainda mais quando se tem mafioso e corrupto tendo definida penas por parte de Segunda Instância. Abre-se precedência com as decisões do trio do STF favorável a esta manifestada à José Dirceu (PT) e João Cláudio Genu (PP).

 

Enquanto isto, os bilhões dos cofres públicos do Brasil vão se esvaindo e parando nos paraísos fiscais - tudo isto dinheiro fruto da roubalheira dos cofres públicos - dinheiro do povo brasileiro que paga elevados e abusivos impostos, taxas públicas e uma gama de tributos municipais, estaduais e federal. A impressão que se tem é de que uma prescrição vale muita grana, muitos milhões, pois quem pratica crimes acaba sendo alcançado pela plena liberdade por leis que se implantaram no Brasil para favorecer quem pratica crimes como aos que se descobriram imensamente em uma série de investigações da PF e do MPF no Brasil nestes últimos pelo menos 25 anos.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar