Quarta-Feira, 20 de Outubro de 2021
Afeganistão e o dilema diante saída das tropas norte- americanas em um país sob domínio do Talibã
25/08/2021 | 16:54
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Afeganistão sob domínio de quase 90% do território deste país nas mãos do regime Talibã, quer a saída das tropas norte- americanas no dia 31 de agosto. A dúvida que permanece é de que haverá ou não mesmo a saída total das tropas dos Estados Unidos que atuam no Afeganistão. O Talibã organiza um conselho formado com 12 membros para administrar o Afeganistão. O Talibã já manifestou publicamente através de seus principais dirigentes que não quer a presença de tropas norte- americanas a partir do dia 31 de agosto e que vai bloquear ainda mais a chegada de afegãos ao Aeroporto em Cabul, a capital do Afeganistão onde encontram-se ainda milhares de pessoas aguardando uma oportunidade de sair do país. Aviões tanto dos Estados Unidos; Alemanha; Espanha; Coreia do Sul estão transportando afegãos nesta retirada do Afeganistão. O Reino Unido já sinalizou que suspenderia na quinta-feira (26), voos para o Afeganistão a fim de auxiliar na retirada de afegãos. Biden, menciona dubiedade quando disse que manteria o prazo máximo de 31 de agosto como último dia desta retirada de afegãos, mas diante pressão de vários outros países, especialmente da Europa; admite também haver possibilidade de estender por alguns dias o prazo para poder atender na retirada de maior número possível de afegãos do país dominado agora pelo regime do Talibã. Soldados da 82a. Divisão Aerotransportada dos Estados Unidos é que estão realizando esse trabalho na retirada de afegãos daquele país asiático. Mais de 7.500 afegãos já foram retirados pelos aviões norte- americanos desde o dia 15 de agosto. Cerca de 250.000 afegãos deram apoio às tropas norte- americanas durante os 20 anos em que os Estados Unidos estiveram presentes no Afeganistão e agora temem represálias e perseguições por parte do Talibã. São, portanto, milhares de afegãos desesperados querendo evacuar do país sob domínio do Talibã. Fuzileiros navais e paraquedistas dos Estados Unidos estavam ao longos destes 20 anos presentes no Afeganistão.

 

Vale do Panjshir continua sendo a única área de resistência ao Talibã

Civis afegãos escolheram o Vale do PanJshir, na região nordeste de Cabul, ou seja, distante cerca de 150 quilômetros da capital o Afeganistão; para escapar dos grupos do Talibã. É ali no Vale do PanJshir onde milhares de afegãos estão concentrados como força de resistência ao Talibã. São civis que atuam em vários setores e atividades sociais e econmicas no Afeganistão; bem como, mulheres, adolescentes e crianças que ali no Vale do PanJshir, tentam refugiar-se e criar resistência ao Talibã. Há muito armamento e também veículos blindados no Vale do PanJshir para enfrentar forças do Talibã. Ali Maisan Nazary - porta-voz das Forças Armadas da Resistência (FNR), disse à uma agência internacional que ali no Vale do Panjshir, as pessoas poderão " continuar suas vidas". O jovem líder afegão Ahmad Massoud ( filho do famoso comandante do Afeganistão e que foi assassinado em 09 de setembro de 2001, pela Al- Qaeda ), reuniu-se com mais de 9.000 mil homens fortemente armados no Vale do PanJshir a fim de criar esta resistência ao Talibã. Segundo Ahmed Shah Massoud, a tentativa é buscar uma espécie de acordo com o Talibã a fim de garantir plena justiça social; descentralização de governo; igualdade e liberdade para todos os afegãos. Enquanto ocorre essa resistência ao Talibã, ao mesmo tempo vem ocorrendo deslocamentos de grupos Mujahedin ao Vale a fim de tentar controla- lo a exemplo de outras províncias afegãs.

 

O temor contra o Talibã, é ao que segundo denúncias de muitos afegãos como vem sendo divulgado pela imprensa internacional é de que os atos aterrorizantes que estão ocorrendo já em alguns pontos do território do Afeganistão por parte de membros do Talibã, provocando mortes; perseguições de casa em casa; retirando jovens mulheres de suas famílias para ficarem em poder de talibãs; bem como, proibições de saídas de mulheres de suas casas, dentre outros casos como ao do assassinato do humorista mais conhecido no Afeganistão Khasha Zwan, preso pelo talibã e o corpo encontrado pendurado em uma árvore na região de Kandahar no final de julho passado; mostra que o o talibã ao retomar o poder no país, retorne com práticas cruéis e inaceitáveis e que afetam os direitos humanos. Já, lideranças principais do Talibã tem afirmado em suas entrevistas recentes de que o Talibã almeja reconstruir o país, respeitando os direitos afegãos e apela para que haja o reconhecimento internacional do Talibã no poder do Afeganistão e que outros países possam dar apoio nesta reconstrução do país diante a crise humanitária e econômica. Um desafio que se pode construir com respeitos mútuos e que asseguram e paz e a harmonia e aos direitos humanos, sociais, econômicos e liberdade cultural, política e religiosa deste país.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar