Segunda-Feira, 15 de Outubro de 2018
Dia "D"
TRF-4 e ação contra o mafioso e corrupto ex-presidente Lula (PT). Moro condenou Lula a nove anos e meio de prisão
24/01/2018 | 8:53
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Tribunal Regional Federal da 4a. Região, em Porto Alegre (RS), decide ação em que o ex-presidente da República Luiz Inácio lula da Silva (PT), é réu diante do processo que tramita na Justiça Federal e onde o Juiz federal Sérgio Moro em primeira instância condenou o ex-presidente Lula (PT), a nove anos e meio de prisão. O Ministério Público Federal (MPF), pediu dobrar a pena contra Lula (PT). Lula (PT) responde a outros vários processos por corrupção passiva; lavagem de dinheiro; formação de quadrilha e falsidade ideológica. A decisão por parte do TRF-4 ocorre na quarta-feira (24). Um amplo esquema de segurança pública foi estabelecido em Porto Alegre (RS), especialmente nas proximidades do prédio em que fica instalado o Tribunal Regional Federal - TRF-4. A repercussão internacional deste julgamento histórico contra um ex-presidente da República do Brasil, atraiu jornalistas de vários países que estão em Porto Alegre (RS), afim de acompanhar este julgamento contra Luiz Inácio lula da Silva (PT). Mesmo que Lula (PT) seja condenado pelo TRF-4, haverá ainda um período de alguns meses de tramitação deste processo até a prisão de Lula (PT), caso seja condenado nesta Segunda Instância pelo TRF-4. A defesa de Lula deverá recorrer à Justiça até esgotar todas as etapas de tramitação deste processo jurídico contra Lula (PT). Se condenado pelo TRF-4 Lula entra na Lei da Ficha Suja e não poderá concorrer as eleições presidenciais em outubro próximo. Assim como Lula (PT), outros corruptos e mafiosos - maioria deles atuando no meio político nacional, estão respondendo processos na Justiça Federal. Alguns chegaram ser presos. Outros presos e soltos e utilizando, inclusive, tornozeleira eletrônica e sendo monitorados pela Polícia Federal. e Ministério Público Federal.


Relembre um pouco deste embate de cunho político, ideológico e de corrupção praticado pelo líder petista

Foi logo nos primeiros meses da primeira gestão de governo do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que houve uma série de contrapontos ideológicos entre o governo federal e setores do Judiciário. Lula naquele período mantinha um discurso de transformação e rigor, incluindo a retirada de algumas benesses protegidas por lei e que favorecem até hoje o Judiciário deste país. Houve reação de setores do Judiciário e até mobilizações para assegurar e manter estes direitos alcançados. O tempo passou. Depois de quatro gestões sobre comando do PT no governo federal ( Lula com dois mandatos e Dilma com outros quase completando dois mandatos); a realidade retoma. Desta vez, de forma inversa em que o ex-presidente Lula é réu neste processo que tramita no Tribunal Regional Federal da 4a. Região, em Porto Alegre (RS). Julgamento marcado para o próximo dia 24 deste mês de janeiro ( quarta-feira ). Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o "Lula", é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e foi condenado em primeira instância do Judiciário Federal a nove anos e meio de prisão; através de decisão do Juiz Federal Sérgio Moro, em Curitiba (PR). Lula (PT) ainda responde a outros três processos na Justiça Federal, sendo um no caso da Operação Zelotes ( suspeita de irregularidades na compra de caças); outra ação relacionada a venda de Medidas Provisórias - MPs em que teria recebido propina de R$ 6 milhões e outra ação no caso da Operação Janus relacionada a favorecimento a empreiteira Odebrecht junto ao BNDES, e tem ainda o caso da chácara em Atibaia (SP). Esta ação que estará sendo revelada os votos de três desembargadores do TRF-4, refere-se ao triplex no Guarujá (SP), em que a empreiteira OAS teria entregue ao ex-presidente Lula como forma de pagamento de propina. A defesa de Lula nega todas as irregularidades contra Lula (PT).

 

MPF pediu para aumentar a pena contra Lula (PT)

Em julho de 2014, o então Juiz Federal e coordenador da Operação Lava Jato Sérgio Moro condenou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a nove anos e meio de prisão. O processo contra Lula começa logo em seguida a tramitar já em agosto na segunda instância junto ao TRF-4, em Porto Alegre (RS). Uma eventual condenação de Luiz Inácio Lula da Silva em segunda instância impedirá Lula de concorrer à presidência da República nas eleições de outubro próximo. A Lei da Ficha Limpa impede que alguém que fora condenado em segunda instância possa concorrer ou ocupar cargo público. Em 06 de outubro passado o Ministério Público Federal (MPF), reforço a condenação de Lula (PT, e pediu aumento da pena. Os três desembargadores do TRF-4 João Pero Gebran Neto; Leandro Paulsen e Victor Laus, tiveram esta missão do trabalho jurídico neste processo contra o ex-presidente da República Luiz Inácio lula da Silva (PT). E toda expectativa da sociedade brasileira, especialmente daqueles que almejam isenção política-partidária e ideológica e sobretudo, buscam com que a corrupção seja amplamente combatida neste país, este caso contra o ex-presidente a República Luiz Inácio Lula da Silva (PT), poderá representar este verdadeiro divisor de águas e mudar a realidade deste país daqui em diante levando à um novo caminho, mesmo que ainda haja organizações criminosas dentro e fora do meio político, mas que o Brasil já vem apresentando uma nova e importante fase na sua história como Nação onde a Justiça e a transparência, responsabilidade, ética e respeito aos direitos coletivos e individuais dos cidadãos sejam plenamente respeitados. Faxina contra a corrupção é algo permanente no Brasil !

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2018 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar