Segunda-Feira, 18 de Fevereiro de 2019
Judeu ortodoxo Davi Alcolumbre (DEM), eleito presidente do Senado Federal
Senador Davi Alcolumbre (DEM); que vai presidir o Senado Federal votou contra cassação do corrupto e mafioso senador Aécio Neves (PSDB)
03/02/2019 | 0:07
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Está tudo em casa. Tanto a Câmara Federal quanto o Senado Federal estão sob a presidência dos (DEM). Isto mesmo: no sábado (02), o Senado Federal elegeu o senador judeu ortodoxo Davi Alcolumbre (DEM), do Amapá como sendo o novo presidente do Senado Federal e o deputado federal Rodrigo Maia (DEM), do Rio de Janeiro; vai presidir a Câmara Federal.

 

Os representantes do DEM são aliados do governo de Jair Bolsonaro (PSL). O novo presidente do Senado Federal votou contra a cassação do mandato do senador corrupto e mafioso Aécio Neves (PSDB), e defendeu ainda a manutenção do mandato de Aécio Neves (PSDB).

 

E nesta eleição para escolha do novo presidente do Senado Federal que substitui a partir de agora o então mafioso e corrupto senador Renan Calheiros (MDB), o qual possui mais de uma dezenas de processos na Justiça Federal por corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, caixa dois de campanha política e formação de quadrilha; acabou desistindo de concorrer nesta disputa à presidência do Senado federal onde tentava reeleger-se.

 

E outro senador que segue em prisão sob regime semiaberto Acir Gurgacz, teve função de fiscalizar esta eleição para escolha do novo presidente do Senado Federal. Acir Gurgacz foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por crimes contra o sistema financeiro.

 

Esta eleição à presidência do Senado Federal teve outro ato tragicômico: ou seja, o presidente do STF ministro Dias Toffoli determinou que a votação para a escolha da nova presidência do Senado Federal fosse voto secreto e não aberto como a maioria dos senadores almejavam.

 

Brasil num caminho que parece sem volta a manter-se o status quo que encontra-se

Apenas dois senadores votaram a favor do voto secreto. Quer dizer: a transparência pública não há interesse por parte do STF e tão pouco respeito-se a independência do Senado Federal. `É o Brasil seguindo as velhas tradições de maculação política e arbitrárias de poderes em detrimento aos interesses da grande maioria do povo brasileiro.

 

Daí, é o Brasil no atoleiro político, social e econômico pelo qual encontra-se desde há muitas décadas. Máfia dominando principais atividades no país, seja administrativas, políticas ou fora deste meio constitucional. Isto é: organizações criminosas estão perpetuando-se e fortalecendo-se como parte do Judiciário em que defende que cidadãos utilize mesmo sem registros algum de porte de armas, fuzis e metralhadoras. Polícia trabalha arduamente, prende bandidos e parte do judiciário imediatamente coloca o bandido na rua.

 

Exemplos clássicos disto ocorreu por duas ocasiões neste início do ano em Florianópolis (SC). E no Rio de Janeiro, onde concentra-se organizações do gênero, influências até no meio político são determinantes como de vário políticos já presos e outros a mercê de pararem também na prisão por associação ao crime organizados e estruturas criminosas organizadas.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar