Domingo, 19 de Maio de 2019
Máfia no Brasil revelando mais esquemas ilícitos. Desta vez delação de um dos sócios da GOL detona mais políticos mafiosos e corruptos
" Poltronas; Reservas e bilhetes ", alguns dos códigos utilizados por um dos sócios da Gol Linhas Aéreas em telefonemas à Lúcio Funaro para codificar repasses de propinas milionárias
14/05/2019 | 11:49
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Juiz Vallisney de Souza Oliveira da 10a. vara Criminal do Distrito Federal; homologou a delação premiada de Henrique Constantino - um dos sócios da GOL Linhas Aéreas, em que o empresário revela entre vários aspectos o pagamento de propinas milionárias para uma máfia de políticos, incluindo repasse de recursos financeiros também ao ex-presidente da República, o corrupto e mafioso Michel Temer (MDB), que está preso na carceragem da Polícia Militar, em São Paulo (SP).

 

Hoje Constantino disse à Justiça Federal que pagou como vantagens financeiras além dos R$ 10 milhões para o grupo liderado por Michel Temer à pedido do ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB); que também está preso, outros R$ 7,077 milhões divididos sendo para o ex-candidato à prefeitura de São Paulo Gabriel Chalita (MDB) e outra para o operador financeiro e doleiro ligado ao esquema criminoso de vários líderes do MDB Lúcio Funaro.

 

" Poltronas, reservas e bilhetes", segundo Henrique Constantino em ligações à Lúcio Funaro eram os códigos de referência aos repasses de propinas milionárias utilizados em conversas telefônicas entre ambos.

 

Esquema criminoso de repasses em propinas à políticos do PMDB(MDB); PT;PP e PSDB são revelados por Constantino à PF

Henrique Constantino da GOL Linhas Aéreas, destacou na delação à PE e ao MPF; os beneficiados pelo esquema de pagamentos de propinas, sendo dentre vários destes políticos que receberam dinheiro o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ); o ex-governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT); senador Romero Jucá (MDB-RR); Ciro Gomes (PP-PI); Vicente Cândido (PT-SP); Marco Maia (PT-RS); Edinho Araújo ( MDB-SP); Otávio Leite (PSDB-RJ); Bruno Araújo (PSDB-PE), dentre outros.

 

O esquema criminoso acordado entre o sócio da GOL Linhas Aéreas com a quadrilha de políticos e com o operador financeiro e doleiro Lúcio Funaro ligado ao PMDB, atual MDB, foi de obter junto a Caixa Econômica Federal (CEF), R$ 300 milhões do Fundo de Investimento F I; Fundo este do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço FI -FGTS controlado pela Caixa Econômica Federal (CEF), que na época tinha como um dos vice-presidentes o mafioso e corrupto Geddel Vieira Lima - um dos braços direitos do mafioso e corrupto ex-presidente Michel Temer (MDB), que na época os esquemas era vice-presidente da República.

 

Segundo Henrique Constantino os R$ 300 milhões foram destinados para a VIA Rondon - empresa de Constantino. Também havia sido acordado entre Constantino e Lúcio Funaro intermediação de repasses de R$ 50 milhões destinados para a empresa familiar de Henrique Constantino; a Oeste Sul Empreendimentos Imobiliários.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar