Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019
TRF-4 nega por unanimidade a liberdade de seis dos oito presos na Operação Alcatraz realizada em Santa Catarina
Operação Alcatraz - TRF-4 negou liberdade para seis dos oito presos em investigação realizada pela PF e MPF contra organização criminosa em SC
26/06/2019 | 10:29
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

A 7a. Turma do Tribunal Regional Federal (TRF-4), de Porto Alegre (RS), negou na terça-feira (25), a liberdade de seis das oito pessoas presas durante a Operação Alcatraz, deflagrada pela Polícia Federal e Ministério Público Federal visando o combate à corrupção e organização criminosa em Santa Catarina. A decisão do TRF-4 na terça-feira (25) foi unânime.

 

O TRF-4 negou a liberdade de seis das oito pessoas presas nesta operação Alcatraz da Polícia Federal em Santa Catarina. A decisão é válida para Nelson Nappi; Luiz Carlos Maroso; Luiz Ademir Hesmann; Danilo Pereira; Fabrício Margarido e Michele Guerra sendo que Michele Guerra cumpre prisão domiciliar. Segundo informações a defesa havia pedido adiamento desta análise por parte do TRF-4, e que acabou não sendo atendida. As investigações realizadas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal apontam que o grupo suspeito de corrupção e lavagem de dinheiro, provocando um rombo nos cofres públicos do estado de Santa Catarina em cerca de R$ 130 milhões.

 

Uma série de práticas ilícitas constatadas nas investigações como desde utilização de notas fiscais falsas e que seriam relativas a supostos serviços prestados a título de publicidade para empresas que prestam serviços terceirizados ao governo do Estado de Santa Catarina e com valores de pagamentos de propinas milionárias. Havia ainda segundo as investigações superfaturamento que chegava a três vezes acima do valor quando da dispensa de licitações, a qual incluía já com sobrepreço.

 

Há desvios de recursos financeiros, inclusive federal no esquema praticado pela organização criminosa. Um empresário disse em depoimento à Polícia Federal que o esquema criminoso já vinha desde 1996 dentro de governos do Estado de Santa Catarina. E as investigações continuam para que haja profundidade diante da amplitude dos desvios financeiros dos cofres do governo do Estado de Santa Catarina.

 

Outras práticas ilícitas investigadas nesta Operação Alcatraz conta também de práticas de sonegação fiscal e que a Receita Federal apura e acompanha o caso devido às chamadas " noteiras " - aquelas empresas de fachada para com uso de notas frias aplicarem golpes como ao que constam nas investigações realizadas nesta Operação Alcatraz. Somente em termos de crimes tributários o alcance inicial atinge cerca de R$ 100 milhões de reais.

 

Nesta operação realizada pela PF em Santa Catarina o apartamento em Florianópolis (SC) pertencente ao deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Júlio Garcia (PSD), foi alvo de busca e apreensão, bem como, num sítio de Júlio Garcia. Em coletiva à Imprensa, o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do estado de Santa Catarina Júlio Garcia (PSD), negou quaisquer prática ilícita.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2019 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar