Quinta-feira, 29 de Outubro de 2020
Governador de SC Carlos Moisés e a vice-Governadora Daniela Reinehr, ambos do PSL, perto do Impeachment
Governador de SC Carlos Moisés e a vice-Governadora Daniela Reinehr, ambos do PSL, perto do Impeachment
21/09/2020 | 23:46
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O governado do Estado de Santa Catarina Carlos Moisés Silva (PSL), convocou todo o colegiado estadual e também todos os dirigentes de estatais e órgãos indiretos. Foi na segunda-feira (21), para tratar certamente da questão do processo do Impeachment que foi acatado na semana passada pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina - Alesc.

 

O pedido de Impeachment contra o governador Carlos Moisés e da vice-Governadora Daniela Reinehr , ambos do PSL; terá na quarta-feira (23), novo passo que terá a formação de um Colegiado Misto formado por cinco representantes do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina (TJSC) e cinco representantes da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina- Alesc, ao qual caberá num prazo máximo de dez dias à partir desta composição; deferir se acata ou não a decisão tomada pela Alesc que majoritariamente acatara o pedido de Impeachment do governador Carlos Moisés e da vice-governadora Daniela Reinehr.

 

Se houver o respaldo do Colegiado Misto à decisão da Alesc; o governador Carlos Moisés e a vice-governadora Daniela Reinehr; serão afastados ambos de seus cargos e terão um prazo de até 180 dias para desenvolver a defesa sobre o pedido de Impeachment. Entretanto, se o Colegiado Misto entender que não cabe acatar a decisão da Alesc; o governador Carlos Moisés e a vice-governadora Daniela Reinehr se mantêm nos cargos.

 

O pedido de Impeachment ingressado e acatado pela Alesc relaciona-se ao fato do governador Carlos Moisés (PSL), ter concedido isonomia salarial à todos os procuradores de Santa Catarina. Decisão que pode ter ido ao contrário da legislação que estabelece que tal decisão caberia passar antes por apresentação de um projeto de lei e ser respaldado pela Alesc. Há de se destacar que há um outro pedido de Impeachment contra o governador e á vice-governadora e relaciona-se ao caso do pagamento antecipado em abril deste ano aos 200 respiradores fantasmas no valor de R$ 33 milhões à empresa Veigamed, do Rio de Janeiro e que resultou numa grande operação policial e do Ministério Público que levou à prisão várias pessoas.

 

O valor total dos R$ 33 milhões sequer retornou aos cofres públicos do governo estadual catarinense. O proprietário da Veigamed, encontra-se ainda foragido da polícia. O governador Carlos Moisés autorizou a abertura de uma auditoria sobre o caso dos respiradores. A Justiça continua apurando o caso para concluir as investigações e responsabilizar sobre esta aquisição dos 200 respiradores pulmonares junto a empresa Veigamed.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2020 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar