Sábado, 23 de Janeiro de 2021
Marajás no Brasil é uma vergonha ! - Suplente de senadora assume por 15 dias em pleno recesso e vai receber R$ 52 mil
09/01/2021 | 1:21
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Brasil continua sendo o país dos marajás, corrupção, o país onde a máfia age como deseja e onde quadrilhas e organizações criminosas possuem seus interlocutores e representantes capazes de atuarem em todos os órgãos públicos, sejam nas esferas do Executivo ( municipais, estaduais e federal ) e também no Legislativo ( municipais, estaduais e federal ), bem como; também no âmbito do Judiciário como já foram demonstradas pelas inúmeras das investigações realizadas nestes últimos pelo menos 30 anos neste país. Mas, o que ainda também se perpetua em termos de gastos públicos abusivos são referentes aos salários e penduricalhos financeiros pagos para muitos marajás que atuam ou que já atuaram e que continuam recebendo gordos salários pagos com recursos públicos. O mais recente exemplo de desrespeito com o dinheiro público é o caso da segunda suplente de senadora, Nailde Panta ( PP) do Estado da Paraíba, que assumiu o cargo no dia 06 de janeiro e que mesmo em pleno recesso parlamentar- ou seja, sem atuar na função, poderá abocanhar cerca de R$ 52 mil por apenas 15 dias. É que a suplente de senadora deixará o cargo no próximo dia 21 deste mês de janeiro. Ou seja, entre salários e mais o auxílio- moradia dentre outras verbas indenizatórias, a suplente de senadora Nailde Panta (PP), receberá mais de R$ 52 mil reais. Nailde Panta assume no lugar da senadora titular Daniella Ribeiro (PP), da Paraíba. Este é o Brasil do caos, mas caos para os desempregados, trabalhadores de salário mínimo mensal; caos para que enfrenta esta pandemia do novo coronavírus sem poder contar com plenas condições como a de muitos que pelo contrário, não se expõe diante maiores riscos à saúde e à vida. O Congresso Nacional pagou em 2018 somente com despesas relacionadas a auxílio-mudança cerca de R$ 20 milhões de reais para 298 deputados e senadores reeleitos. Por aí, já dá para imaginar o quanto de recursos públicos oriundos de contribuições do povo brasileiro vai para gastos com marajás.

Em Santa Catarina, na Assembleia Legislativa salários acima de R$ 35 mil até para deputados aposentados

E os marajás não param somente no Congresso Nacional ou pelos demais estados brasileiros onde até as " rachadinhas " são praticadas como exemplo ao que ocorreu no Rio de Janeiro e podendo, inclusive; ser prática exercida em muitas outras assembleias legislativas, sejam municipais e ou estaduais e até no Congresso Nacional. A Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina- Alesc paga salários elevados, acima de R$ 35 mil reais para muitos ex- deputados estaduais.

 

E mais ainda; paga salários acima de R$ 25 mil reais; salários acima de R$ 22 mil; outros acima de 20 mil ; muitos outros salários acima de 18 mil reais para centenas de servidores da Alesc. Além de salários super elevados, consistem pagamentos acrescidos de adicional por tempo de serviço ao valor de R$ 9.501,81 por exemplo. Uma servidora da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina- Alesc, por exemplo recebe um total de salário-bruto no valor de R$ 35.462,22 mil reais e líquido o valor de R$ 32.205,79 mil reais por mês. Um consultor jurídico da Alesc, por exemplo recebe de salário bruto R$ 35.462,22 mil reais mensais.

 

Um jornalista aposentado possui salário mensal junto a Alesc no valor de R$ 28.067,04 mil reais mensais. E a lista é enorme de marajás recebendo gordos salários pagos com recursos públicos- dinheiro do povo catarinense. E a Alesc paga ainda auxílios moradias dentre outros como para verbas de gabinetes e que junto somam quantias bilionárias à cada mandato parlamntar ( são 40 deputados estaduais que atuam junto a Alesc e centenas de servidores e de aposentados ).

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar