Segunda-Feira, 08 de Março de 2021
"Alcatraz e Hemorragia " : Preso pela PF presidente da ALESC Júlio Garcia (PSD), teve mais um mandato de prisão decretado
Presidente da ALESC continua preso mesmo diante decisão da maioria de colegas na ALESC pela soltura
21/01/2021 | 23:06
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Mesmo com a decisão de 30 colegas deputados estaduais durante sessão extraordinária da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina- Alesc, realizada na tarde de quinta-feira (21); que deliberou favorável à revogação da decisão da Juíza Federal Janaína Cassol , da 3a. Vara Federal da Capital, que determinou a prisão do presidente da Alesc, deputado Júlio Garcia (PSD); logo em seguida a esta votação pela Alesc; a Polícia Federal (PF), cumpriu novo mandato de prisão do deputado Júlio Garcia (PSD), que vai permanecer preso em regime de prisão preventiva. Por ter mais de 70 anos de idade Júlio Garcia (PSD); permanece em prisão domiciliar.



A Polícia Federal (PF), cumpriu novamente no final da tarde de quinta-feira (21); mandato de prisão preventiva do presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina- Alesc, deputado estadual Júlio Garcia (PSD), que já estava preso em regime domiciliar desde terça-feira (19); durante operação " Hemorragia " - segunda fase da Operação Alcatraz. Júlio Garcia virou réu após as investigações da Operação Alcatraz deflagrada no início de 2018. Determinação do MP levou a Polícia Federal cumprir mandatos de buscas e apreensão durante a última terça-feira (19), em Florianópolis; Joinville e Xanxerê (SC).. Foram cumpridos dezenas de mandados nesta operação Hemorragia.. O presidente da Alesc Júlio Garcia (PSD), teve decretada prisão domiciliar nesta operação " Hemorragia ".
Investigações pontam mais de MEIO BILHÃO no esquema da organização criminosa

 

Várias outras pessoas também foram alvos destas duas operações investigatórias; entre empresários; agentes públicos e políticos incluindo o ex- governador do Estado de Santa Catarina Eduardo Pinho Moreira (MDB); o atual secretário municipal da Prefeitura de Florianópolis Valter Gallina, bem como; o ex- secretário de Estado da Saúde de SC; Dalmo Claro ( suspeito de movimentações financeiras atípicas entre 2015 e 2017). Investigações realizadas pela PF; Receita Federal e MPF, apontam crimes praticados pela organização criminosa em desvios de recursos públicos financeiros milionários dos cofres do Santa Catarina. Crimes de corrupção ativa e corrupção passiva; fraudes licitatórias; lavagem de dinheiro; pagamentos de propinas milionárias; superfaturamentos em serviços e consultorias fraudulentas; pagamentos por serviços não prestados e superfaturados; dentre outros investigados nestas operações " Alcatraz " e " Hemorragia ".

 

Advogada delatora descreveu em depoimento à PF e MPF o " Delivery " da propina

Presa pela Polícia Federal (PF), uma advogada que teve decretada prisão por um período inicial de mais de 8 anos, a qual encontra-se em prisão domiciliar e podendo ser reduzida pena por haver relatado e colaborado em depoimentos à Justiça o esquema criminoso de desvios de recursos públicos da administração pública do Estado de Santa Catarina, revelou que uma das formas de pagamentos de propinas aos ex-governadores de Santa Catarina Raimundo Colombo (PSD); Eduardo Pinho Moreira (MDB) e ao deputado estadual e atual presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina- Alesc, Júlio Garcia (PSD), incluía a entrega de cédulas dentro de caixas de uísque; caixas de sapatos; envelopes e até maletas. O dinheiro, segundo a delatora era retirado por ela em caixas de agências bancárias e em valores fracionados para não chamar a atenção. Citou um colega também advogado do mesmo escritório de advocacia de " fachada " para a lavagem de dinheiro e da entrega dos recursos financeiros desviados dos cofres públicos do estado de Santa Catarina.

 

PF e Receita Federal apontam que empresa Qualidere recebeu R$ 402 milhões

Investigações da Polícia Federal (PF) e da Receita Federal que resultaram em prisões durante as Operações tanto da Alcatraz quanto desta semana da "Hemorragia ", apontaram que somente uma das empresas investigadas, e neste caso da Qualidere - que atua na área de saúde ( SC Saúde ); e que através de contrato firmado com o governo de Santa Catarina, recebeu um total de R$ 402 milhões entre 2011 e 2019 e onde três aditivos são suspeitos de lavagem de dinheiro. E o governo atual de Santa Catarina exonerou uma gerente que atuava na área de Tecnologia e que segundo investigações da PF; MPF e da Receita Federal, recebeu propina de duas empresas deste setor e no valor de R$ 170 mil reais.

 

E a partir de depoimentos colhidos nesta fase segunda da Alcatraz denominada " Hemorragia ", novos desdobramentos; poderão ocorrer e revelar que o escândalo de corrupção e de desvios de recursos públicos dos cofres do governo de Santa Catarina poderão ir muito além do que até agora foram descobertos por estas investigações realizadas pela PF, MPF e Receita Federal.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar