Sábado, 21 de Outubro de 2017
Santa Catarina e o caos na rede pública hospitalar
Santa Catarina enfrenta a pior crise na rede pública hospitalar. Trata-se de crime do governo contra quem precisa de atendimento à saúde
21/08/2017 | 18:20
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Uma vergonha ! A situação caótica com que maioria dos hospitais da rede pública no Estado de Santa Catarina estão vivenciando há anos, mas a crise chegou praticamente ao fundo do poço. Tem hospitais que sequer possui papel higiênico. Falta desde medicamentos; equipamentos; novas UTIs e leitos hospitalares face à necessidade urgente para atender a demanda de pacientes que buscam o atendimento hospitalar e voltam para casa sem sequer poder serem atendidos.

 

Isto é um crime que coloca em risco muitas vidas. A espera semanas; meses, anos por uma cirurgia é um outro grave aspecto onde muitos pacientes são obrigados à recorreram na Justiça por socorro e poderem serem atendidos com maior brevidade. Em Florianópolis (SC), a chamada "Ilha da Magia", sede do governo do Estado de Santa Catarina a situação é caótica no Hospital Infantil Joana de Gusmão.

 

No Hospital Celso Ramos, também em Florianópolis a situação é semelhante ao do Joana de Gusmão. Denúncias de falta de higiene que coloca em risco a vida de pacientes internados no Hospital Celso Ramos face ao grande e eminente risco de contaminação por bactérias. No Hospital Universitário (HU), até o setor de emergência chegou ser fechado temporariamente diante da impossibilidade de poder atender aquelas pessoas que ali buscam o atendimento à saúde.

 

Um governo que carrega a marca da incompetência desde há muitos anos em coligações

O atual governo de Santa Catarina sob administração de Raimundo Colombo (PSD), com apoio do PMDB e de outras pequenas siglas partidárias, recebeu o governo da gestão anterior de Luiz Henrique da Silveira (PMDB) com apoio na época do PSDB e de outras siglas menores; deixando um rastro de problemas nas áreas tanto da Saúde quanto da Educação e da Segurança Pública. Aliás, estes graves problemas já vem desde gestões de Esperidião Amin (PP); Paulo Afonso Vieira (PMDB) e de outros governos incompetentes e corruptos.

 

Basta lembrar a série de processos na Justiça em que ocorreram diante graves problemas administrativos e alguns que até hoje demandam falta de solução por parte da própria Justiça. Em São José (SC), na região metropolitana de Florianópolis também é grave a situação onde a superlotação é semelhante aos demais hospitais públicos de todo o estado catarinense. Em Joinville (SC), o maior município populacional de Santa Catarina a situação chegou ao extremo onde a Justiça teve que interferir face à realidade em que se encontra um dos principais hospitais de Joinville.

 

E mesmo diante desta gravidade da realidade hospitalar o Governo de Santa Catarina continua apenas no discursos e promessas falatórias e de propaganda institucional onde lá se vão milhares de recursos públicos para praticamente nada resolver esta grave situação da maioria dos hospitais em Santa Catarina.

 

O CEPON que trata milhares de pacientes por mês e portadores de câncer; enfrenta igualmente dificuldades diante da falta de repasse de recursos atualizados do governo estadual catarinense que está sob o comando do governador Raimundo Colombo (PSD) e com apoio do PMDB dentre outras siglas menores. Juntos, estes partidos fazem deste governo estadual provocar esta incompetência nunca antes registrada na área da Saúde em Santa Catarina. Lamentável !

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2017 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar