Segunda-Feira, 08 de Março de 2021
Brasil sente o caos do desgoverno Bolsonaro. Pandemia mostra que negacionismo mata: é genocídio
18/01/2021 | 4:42
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Desde início da pandemia da Covid-19, o governo Bolsonaro optou pelo negacionismo e chamando a doença como sendo uma " gripezinha ". Tal " gripezinha ", já matou no Brasil mais de 210.000 mil pessoas e deixou outras mais de 9.000.000 milhões portadoras do novo coroem várias cidadesnavírus Covid-19 e segue matando diariamente mais de 1.100 pessoas em todo o país. Somente em Manaus (AM), onde a situação é das mais críticas do país, morreram nas últimas 24 horas mais de 200 pessoas pela Covid-19.

 

Hospitais lotados e pessoas desesperadas na frente de hospitais de Manaus e de várias outras cidades da região Norte e Nordeste do país; implorando pela defesa à vida de parentes infectados pela Coivd-19. Desgoverno federal somados aos desgovernos estaduais na maioria dos estados brasileiros; mostram a incompetência e irresponsabilidade no gerenciamento dos graves problemas na área de Saúde. Nas prefeituras municipais, a situação na maioria das cidades brasileiras também há grandes desafios e que soluções dependem muito das decisões na esfera governamental federal em relação ao combate ao novo coronavírus Covid-19. Na noite de sexta-feira (15); o panelaço por todas as capitais brasileiras, foi uma reação de manifestação crítica ao governo Bolsonaro. O negacionismo desde o início da pandemia da Covid-19 no Brasil; vem apresentando saldo dos mais graves na história mundial, pois o Brasil é o segundo país do mundo em termos de números de mortos pela Covid-19.

 

Falta de insumos como ao de oxigênio medicinal é prova maior da incompetência política-administrativa no Brasil

E não foi tão somente falta de oxigênio que está resultando na morte de pacientes portadores de Covid-19. Há outros também fatores graves que somados a falta de oxigênio aos pacientes internados em UTIs de vários hospitais brasileiros que estão levando pessoas à morte. Vai desde falta de ambulâncias para prestar socorros imediatos à pedidos de socorros. faltam leitos em unidades hospitalares em quase todo o Brasil. fiscalização rigorosa. Faltam respiradores pulmonares.

 

Faltam técnicos e médicos para atuarem no trabalho de atendimento aos pacientes com Covid-19 em diversas cidades brasileiras. Falta até Boing cargueiro para transportar centenas de cilindros de oxigênio medicinal ao estado do Amazonas e, outros estados que já começam sentir risco grave de faltar oxigênio para tentar salvar vidas de pacientes com a Covid-19. E tem agora, outro fator preocupante: as vacinas, que além de serem insuficientes para atender sequer as pessoas idosas, profissionais de saúde em todo o país; dentre outros inseridos pelo governo federal como prioridade nesta primeira etapa de imunização contra a Covid-19; sequer se tem garantia exata de quando deverá iniciar de fato a vacinação; uma vez que tanto as vacinas de Oxford e a Coronavac que estavam para chegar ao Brasil neste início de semana; acabaram tendo suspensão temporária e não há data definida para que elas cheguem ao Brasil.

 

O que existem são discursos políticos de um lado e de outro propalando o início da vacinação, porém, nem as vacinas estão ainda nos postos de saúde a fim de iniciar a imunização de pequena parcela da população. Diante a gravidade da pandemia da Coid-19 no Brasil assim como em todo o restante do mundo, já se percebe que no Brasil, o atraso e a irresponsabilidade, incompetência, populismo em plena pandemia é geral e vai desde muitos municípios passando pelos governos estaduais até alcançar o governo federal. Este é o retrato de um Brasil arrombado por organizações criminosas, quadrilhas, bandos instalados dentro e fora do sistema político- administrativo; legislativos e até em parte do Judiciário como já apontaram inúmeras das investigações da Polícia federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF). Então não precisar dizer mais nada. salve-se quem tiver juízo e possibilidades de poder evitar o contágio da Covif-19 e suas novas variantes.

 


Aliás, o que certamente deve existir de milhares de cidadãos em mansões sem colocar os pés e o nariz fora de casa no Brasil; enquanto dezenas de milhões estão desempregados; correndo atrás de uma oportunidade de trabalho e renda; outras dezenas de pessoas vivendo apenas com um mísero salário mínimo; milhares de aposentados com salários bem reduzidos eu mal dá para adquirir remédios e alimentos e ou pagar aluguéis de moradia; enfim; por outro lado, os cofres públicos sendo surrupiados como exemplo em Santa Catarina onde sequer os R$ 33 milhões pagos antecipadamente pelo governo estadual à empresa Veigamed, do Rio de Janeiro, por 200 respiradores pulmonares em inicio de abril do ano passado, até hoje: nem respiradores nem sequer os R$ 33 milhões completos estão de volta aos cofres do governo estadual.

 

E a quietude por si só já diz que algo estranho ainda se perpetua dentro da gestão administrativa em Santa Catarina. Isto, apenas um dos diversos exemplos no Brasil. No Rio de Janeiro então, uma roubalheira bilionária sob várias investigações da PF e do MPF. Em São Paulo; Rio Grande do Sul; Paraná; Amazonas; Acre; Roraima; Pará; Bahia; Pernambuco; Alagoas; Goiás; Mato Grosso; Mato grosso do Sul; Minas Gerais; Tocantins e por aí vai a dimensão do que ocorre em praticamente todo o Brasil. UM país sem controle e fiscalização e falta de uma Justiça plena e rigorosa; quem paga a conta são milhões de cidadãos deste país. E vale ressaltar que a incompetência administrativa no Brasil vem desde décadas, passando por vários governos mafiosos e corruptos.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar