Quarta-Feira, 20 de Outubro de 2021
Preso o ex-servidor do Ministério da Saúde acusado de propor propina de US$ 1 dólar por dose da vacina
07/07/2021 | 18:24
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito - CPI da Covid-19, senador Omar Aziz (PSD-A), determinou na quarta-feira (07), a prisão do ex-servidor do Ministério da Saúde que ocupou a direção de Logística deste ministério Rodrigo Ferreira Dias. A determinação da prisão ocorreu durante depoimento do ex-servidor na CPI da Covid-19, na quarta-feira (07). Ao prestar informações consideradas " falsas" pela CPI da Covid-19, o presidente desta comissão imediatamente determinou a prisão de Rodrigo Ferreira Dias. Ele negou haver pedido propina e cham durante seu depoimento nesta CPI o PM e representante da empresa norte americana Davati Medical Supply de " picareta ".

 

Muita tensão nesta sessão da CPI da Covid-19. A empresa Davati Medical Supply não atua na área de Saúde e sequer possui autorização de laboratórios que fabricam vacinas contra a Covid-19 para revender vacinas tanto nos Estados Unidos quanto em outros países. Assim como todos os demais fabricantes de vacinas contra a Covid-19 no mundo, a comercialização de vacinas ocorre diretamente junto aos governos destes países. Esta é uma recomendação e, portanto uma orientação; sugestão da Organização Mundial de Saúde (OMS), para dar paridade na distribuição justa de vacinas à todos os países do mundo.

 

Máfia vendo brechas para tentar aplicarem golpes em plena pandemia da Covid-19

Aproveitando da fragilidade de luta nesta pandemia da Covid-19, atravessadores oportunistas acabam vendo aí uma brecha, oportunidade para aplicarem golpes tanto em países, estados e até municípios como está ocorrendo no Brasil com outros produtos como respiradores pulmonares; EPIs e até oxigênio medicinal - como já apontaram inúmeras das investigações da PF e do MPF, além de equipes da GAECO, Polícias Civis nos estados e muitos municípios brasileiros.

 

O golpe da tentativa em fevereiro deste ano do " representante " da Davati no Brasil; Luiz Dominghetti em vender 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca por parte da Davati Medical Supply, acabou não ocorrendo diante o escândalo de corrupção e que agora em sendo investigado, apurado pela CPI da Covid-19, Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF), além do próprio governo federal que deve ampliar internamente sobre o caso. A atuação de mafiosos nesta pandemia e que atuam dentro e fora do Brasil está sendo amplamente investigada, aprofundando as ramificações por todo o Brasil e no exterior.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar