Sábado, 24 de Julho de 2021
China sob regime do comunismo mantém trabalho forçado; campos de concentração e torturas, denuncia minoria Uigur
11/07/2021 | 11:03
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

O Ministério Público da França abriu há poucos dias atrás uma investigação contra diversas empresas por se beneficiarem de trabalho forçado em duas unidades de fábricas chinesas. Os campos de concentrações da China sob regime do Comunismo; são algo que fere os direitos humanos. São torturas constantes físicas e psicológicas nestes campos de concentração espalhados em várias regiões da China. As agressões vão desde ao uso da cadeira de tigre, cujo equipamento de tortura quebra ossos do corpo humano; ao estupro, denunciou um dos presos que viveu longo período dentro de um do campos de concentração localizado em Urunchi - capital da região de Xinjiang ( China ). As minorias étnicas Uigur são as comunidades que mais sofrem as ações de perseguições e torturas, destacou o sociólogo francês Dilnur Reyhan. Xinjiang é a maior região da China com cerca de 20% do território chinês. Além das torturas nestes campos de concentração na China; o trabalho forçado e que inclui crianças sob o regime comunista chinês; as condições precárias nestes locais vão desde à falta de água; alimentação precária e os mais graves atos de torturas, denunciou Guibakhar Jalilova , que foi presa em 2017 pelo regime do governo da China e libertada após juntar-se a um grupo de mulheres que como ela pertencia a minoria Uigur.

 

Outras minorias na China como Uzbeques; Cazaques e dos Ulgures; são os mais visados nestas perseguições do regime comunista da China. Segundo o governo norte americano que investiga várias das ações do regime comunista chinês, a situação demonstra uma espécie de panela de pressão, onde populações que sofrem sob este regime autoritário comunista chinês; tentam libertar-se em busca de um sistema democrático e de respeito aos direitos coletivos e individuais de cidadãos. Muitas das ilhares de vítimas que vivem nestas áreas de concentração sequer recebem diariamente água e alimentos, disse Guibakhar. O regime comunista controla a vida de todos os cidadãos naquele país da Ásia em que até passaportes são recolhidos; postos de controle estão espalhados por todos os lados nas cidades e acessos ao interior do país; e aplicativos móveis controlam os passos de cada cidadão que vive naquele país, destacou à um dos jornais francês, Guibakhar Jalilova.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar