Sábado, 24 de Julho de 2021
Vacinação contra coronavírus sendo desafio na maior parte dos países diante falta de insumos
06/06/2021 | 18:20
Postado por: Destaque Catarina
A- A+

Não é somente o Brasil que ainda encontra dificuldades para acelerar a imunização da população contra o novo coronavírus Covid-19. Muitos outros países estão enfrentando igual dificuldades devido à falta de insumos para a produção do imunizante. E é sobre isto com que o Brasil através do Instituto Fiocruz deverá iniciar em junho sua produção do IFA ( Ingrediente Farmacêutico Ativo ). A Fundação Oswaldo Cruz- Fiocruz deverá produzir a partir deste mês de junho; cerca de 15 milhões de doses por mês da vacina Oxford- AstraZeneca e poderá acelerar sua produção de vacinas contra a Covid-19.

 

Com exceção de alguns países como por exemplo os Estados Unidos e o Reino Unido que possuem produção próprias avançadas de vacinas contra a Covid-19, inclusive, já remetendo vacinas de forma gratuita para vários outros países em desenvolvimento do mundo, já adiantaram em muito a vacinação para suas respectivas populações. O Brasil em breve não vai depender mais de insumo da China para a produção de vacinas contra o SARS Cov2 - ou seja, contra o coronavírus Covid-19, graças a uma parceria internacional.

 

O Brasil atingiu nesta semana cerca de 49.000.000 de aplicação de primeiras doses da vacina contra a Covid-19 e cerca de 22.500.000 mil doses para a segunda dose desta vacina contra a Covid-19. Isto é, a imunização atinge na ordem de pouco mais de 21,5% para a primeira dose e cerca de 10,3% para a segunda dose da vacina. Ainda é pouco diante da dimensão da gravidade desta pandemia no Brasil e também no restante do mundo onde a doença já tingiu mais de 6,9 milhões de mortes pela Covid-19, de acordo com análises do Instituto de Métricas e Avaliação de Saúde (IHME) da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

 

O Brasil ultrapassou a marca de 16 milhões de infectados pela Covid-19 e onde cerca de 490.000 mil pessoas morreram devido esta doença de alto grau de transmissibilidade e de letalidade.

Comentários (0)
Seja o primeiro a comentar.
© 2010 - 2021 Jornal Destaque Catarina. Todos os direitos reservados
Encaminhe esta notícia
Seu nome
Seu e-mail
E-mail remetente
Comentário
Caracteres restantes

Enviar notícia
Reportar abuso
Seu nome
Seu e-mail
Seu telefone
Comentário
Caracteres restantes

Reportar abuso
Faça seu login!
Login
Senha
Permanecer conectado
Conectar