OPERAÇÃO MENSAGEIRO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SANTA CATARINA CONDENA 14 PESSOAS

No primeiro julgamento realizado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina (TJSC), realizado em final de outubro deste ano; foram condenador 10 réus da entre as dezenas de outras pessoas envolvidas na Operação Mensageiro - a maior operação de combate a corrupção; lavagem de dinheiro; fraudes e organização criminosa na história de Santa Catarina. Já, na manhã de quinta-feira (16), outras 14 pessoas envolvidas na Operação Mensageiro; foram condenadas pelo Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina (TJSC).


A Quinta Câmara Criminal do TJSC, por unanimidade condenou 14 pessoas envolvidas na Operação Mensageiro. Os condenados pelo TJSC poderão pegar pena de prisão em regime fechado entre um a quatro anos. Na véspera de completar um ano desde que foi deflagrada a Operação Mensageiro - que continua em fases de investigações contra supostos mafiosos e corruptos que desviaram segundo as investigações um total na ordem de meio bilhão de reais dos cofres públicos em dezenas de prefeituras do Estado de Santa Catarina.


O MP determinou investigações em prefeituras que firmaram contratos junto a empresa Serrana Engenharia visando prestações de serviços nas áreas de coleta e destinação do lixo sólido urbano, dentre serviços também na área de energia elétrica e também de saneamento básico. Cerca de R$ 100 milhões foram pagos em propinas, segundo investigações. O empresário dono da Serrana Engenharia que firmou um acordo de delação premiada junto ao MPSC, assumiu perante a Justiça de Santa Catarina; a devolução de R$ 50 milhões de reais. Investigações realizadas pelas equipes do GAECO, Deic; Ministério Público do Estado de Santa Catarina - MPSC; resultaram em buscas e apreensões através desta Operação Mensageiro.


Foram recolhidos vários telefones; equipamentos de TI, montantes em cédulas de dinheiro; além de dezenas de prisões de vários prefeitos, vice-prefeito; dentre outros agentes públicos municipais e empresários investigados e ligados a empresa Serrana Engenharia, cuja empresa possui sede em Joinville (SC). A empresa Serrana Engenharia após estourar o escândalo descoberto pela Operação Mensageiro, transformou-se em Versa Engenharia e continua prestando serviços nas áreas de coleta de lixo sólido urbano, saneamento básico e de energia elétrica em vários municípios catarinenses. A Justiça de Santa Catarina determinou bloqueios financeiros, bloqueio de imóveis dentre outras medidas contra os investigados na Operação Mensageiro.