CRUZ E SOUSA E ANTONIETA DE BARROS SÃO DESTAQUES DE MOSTRA DE CINEMA


Serão apresentados os curtas metragens “Alva Paixão”, dirigido por Maria Emília de Azevedo, “Antonieta”, da diretora Flavia Person, “Cruz e Sousa, a volta de um desterrado”, de Cláudia Cárdenas e Rafael Schilchting e “Em nome de Cruz e Souza”, do diretor José Rafael Mamigonian.

¨Um projeto como esse é de extrema importância, pois além de difundir personagens catarinenses como o poeta Cruz e Sousa e a professora Antonieta de Barros, apresenta trabalhos audiovisuais que são produzidos por talentosos cineastas em Santa Catarina”, destaca Pires.

Ainda, segundo o cineasta, o público que participar do projeto Cine Garagem, poderá ver as diferentes abordagens e narrativas sobre o mesmo tema, com filmes extremamente interessantes, de diferentes cineastas e realizados em anos distintos.

“Sou cineasta e sei a dificuldade de exibir nossas obras. E esse projeto é uma janela que a Fundação abre e que deveria servir de inspiração para outras instituições presentes no Estado, pois filmes não faltam”, completa.

A Fundação Cultural BADESC fica na Rua Visconde de Ouro Preto, 216, no Centro de Florianópolis (SC). A entrada para o Cine Garagem é gratuita e os lugares serão ocupados por ordem de chegada. Importante lembrar que em caso de chuva, a programação será transferida de data.

 

Curtas selecionados para o Cine Garagem:

 

Alva Paixão

Gênero: ficção 

Duração: 24min

Classificação: Livre

Acessibilidade: Não tem 

Ano: 1995

Direção: Maria Emília de Azevedo

 

Sinopse: João da Cruz e Sousa, tísico e cansado, envelhecido precocemente, diante de Nestor Vitor, remete-se a lembranças. Essas recordações são marcadas pelo dilema entre o equilíbrio que representa o alvo e a paixão soprada da África. O flash back interrompe em contraponto o denso desabafo do poeta ao amigo simbolista. Sentindo a proximidade da morte, João confia a Nestor os últimos sonetos produzidos, aqueles que seriam publicados postumamente em Paris.

 

Ficha Técnica: 

Direção/Roteiro – Maria Emilia de Azevedo

Diálogos – Marco Antônio C. Chaga 

Direção de Fotografia – Rodolfo Ancona Lopes

Direção de Arte – José Alfredo Beirão Filho

Figurino – Lou Hamad

Montagem – Máximo Barro

Música – Alexandre Prade

Produção Executiva – Jair dos Santos

Direção de Produção – Deisi Gomes

Filmado em São Francisco do Sul, Avencal e Ilha de Santa Catarina – setembro 1995.

 

Antonieta

Gênero: documental

Duração: 15min

Classificação: Livre

Acessibilidade: audiodescrição

Ano: 2016

Direção: Flávia Person

 

Sinopse: “Antonieta”, um documentário sobre Antonieta de Barros (1901-1952), mulher, negra, professora, cronista, feminista e em 1935 se tornou a primeira negra a assumir um mandato popular no país.

 

Ficha Técnica:

Direção – Flávia Person

Roteiro – Flávia Person

Produtora – Magnolia Produções Culturais e Ombu Arte

Montagem – Yannet Briggiler

Edição de Som e Trilha Sonora – Diogo de Haro

Pesquisa e Consultoria Histórica – Fausto Douglas Corrêa Júnior

Assistente de Produção – Gabi Bresola e Matias Eastman

Assessoria de Comunicação – Barbara Pettres

Edição de Texto – Fábio Brüggemann

Preparação Vocal – Barbara Biscaro

Mixagem – Diogo de Haro e Paulo Costa Franco (Estúdio Ouié)

 

Cruz e Sousa, a volta de um desterrado

Gênero: documental

Duração: 20min

Classificação: Livre

Ano: 2007

Direção: Cláudia Cárdenas e Rafael Schilchting

 

Sinopse: Os restos mortais do poeta Cruz e Sousa voltam a Florianópolis, antiga Desterro, por requisição do governo do estado e são recebidos num evento no Palácio Cruz e Sousa. O documentário mostra a cerimônia, exibe o local onde os restos do poeta serão recebidos e em off ouvimos a narração de dois poemas de Cruz e Sousa, Marche aux Flambeau e O emparedado. Uma homenagem poética ao poeta ao mesmo tempo em que exibe e documenta o evento.

 

Ficha Técnica:

Um filme de – Cláudia Cárdenas e Rafael Schlichting

Voz Over – Fernando Scheibe

Trilha Sonora (final) – Alberto Heller

 

Em nome de Cruz e Souza

Gênero: documental

Duração: 30min

Classificação: Livre

Acessibilidade: audiodescrição e legenda descritiva

Ano: 2023

Direção: José Rafael Mamigonian

 

Sinopse: Em 1923 foi inaugurado em Florianópolis um busto em homenagem a João da Cruz e Sousa, poeta negro catarinense falecido décadas antes. Fruto da mobilização da população negra, a história desse monumento resgata imagens de um momento em que a conquista por espaços na nova política inaugurada pela República estava na ordem do dia. A partir de ampla pesquisa em arquivos, o documentário “Em nome de Cruz e Sousa” traz para o presente aspectos dessa história na qual símbolos de modernidade como as reformas urbanas e a Ponte Hercílio Luz são percebidas sob o ângulo da luta por acesso à cidadania e contra a discriminação racial na capital de Santa Catarina.

 

Ficha Técnica:

Produção – Atalaia Filmes

Direção, pesquisa e montagem – José Rafael Mamigonian

Pesquisa histórica e roteiro – Luana Teixeira e Beatriz Mamigonian

Narradora – Drica Santos

Atores – André Luís Patrício e Eduardo Acaiabe

Produção executiva – Fábio Fernandes

Direção de fotografia – Alan Langdon

Direção de som – João Godoy

Direção musical – Norberto Depizzolatti   *Colaboração: Texto e fotos: Juliano Zanotelli,  MTB-SC02441 JP