DINO E GONET SÃO SABATINADOS PELO SENADO

Tanto o ex-ministro da Justiça Flávio Dino indicado ao STF pelo presidente da República Luís Inácio Lula da Silva (PT), bem como, Paulo Gonet indicado também por Lula para a Procuradoria-Geral da República (PGR), foram ambos sabatinados pelo Senado Federal na quarta-feria (13). Flávio Dino disse na ocasião que " não há ditadura no Judiciário ". 



Dindo, entretanto, sequer lembrou nesta ocasião de que o STF nas últimas décadas sequer decidira manter presos centenas de mafiosos, corruptos que saquearam bilhões dos cofres públicos ao longo destes últimos pelo menos 40 anos em todo o Brasil. 


São avalanches de casos de corrupção e de operações realizadas pelo Ministério Público Federal (MPF), pela Polícia Federal (PF), equipes das GAECOs nos estados, Receita Federal e Coaf. Ao longo de décadas o MPF; PF, GAECOs, Receita Federal, realizaram inúmeros cumprimentos de mandados de buscas e apreensão em praticamente todo o Brasil. 


 Porém, pouquissímos foram os mafiosos e corruptos - grande maioria dos investigados foram políticos ou ex-políticos, além de muitos empresários, operadores de dólares, diversos servidores públicos envolvidos em casos de corrupção e que sequer acabaram permanecendo presos por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) e ou também pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ).


Basta destacar que no caso da maior operação de combate a corrupção na história do Brasil - a Lava Jato, acabou tendo uma uma estranha decisão por parte do STF em anular praticamente os processos contra mafiosos e corruptos .


Mafiosos, corruptos que preatram seus depoimenetos na Justiça Federal e à Polícia Federal (PF), erm que eles mesmos haviam declarado nestes depoimentos e delações premiadas; haver desviado dinheiro dos cofres públicos, utilizado mecanismos de lavagem de dinheiro, pagamentos e recebimentos milionários de propinas e de formação de organização criminosa em muitos dos casos investigados.


No Brasil, não há infelizmente; independência de Poderes quando um presidente da República, historicamente indica quem vai ou não ocupar vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), e ou em outras instâncias de poder como exemplo; na Procuradoria-Geral da República (PGR). Daí, a dificuldade do Brasil encontrar um verdadeiro caminho de promover a Justiça Social ; Econômica e de transformação em busca do Desenvolvimento Sustentável e Justo para com todos os cidadãos deste país.