ARGENTINA ANTES DE MILEI À BEIRA DO ABISMO. AGORA, NO ABISMO

A lei da reforma do Estado sob comando do novo presidente da Argentina Javier Milei; contendo pelo menos 664 artigos e 183 páginas, gerou uma onda de protestos, manifestações populares em toda a Argentina. 


Até mesmo o Judiciário da Argentina já admite ser inconstitucional a decisão de Milei. A onda de piquetes em várias regiões na Argentina fez Milei implantar o protocolo anti piquetes naquele país. Diariamente ocorrem manifestações populares na Argentina. 

Os arredores da Plaza Lavalle, em Buenos Aires, foi totalmente cercada, isolada, bloqueada. O presidente da Argentina Javier Milei desafia a oposição e segue confiante nos mais de 56% dos votos que o elegera presidente da Argentina e que o levou a tomar posse ao cargo no dia 10 de dezembro. 

 Milei tenta romper o corporativismo oriundo desde o Peronismo e Kirchevismo na Argentina. Mas, mesmo parte de seus apoiadores já sentem também reflexos de possíveis medidas rígidas do novo governo argentino que chega com desregularização da economia. A inflação que já era elevada na Argentina, acabou subindo ainda mais os índices inflacionários. 

Combustíveis; alimentos são os que mais de imediato sentiram os efeitos das medidas do governo Milei. A Argentina antes de Javier MIlei encontrava-se à beira de um abismo econômico e social. Agora, com Milei no poder, a Argentina está literalmente com um pé dentro do abismo.