ABIN E BOLSONARO INVESTIGADOS POR ESPIONAGEM ILEGAL

A Polícia Federal (PF), investiga vários integrantes supostamente envolvidos no escândalo da ABIN- Agência Brasileira de Inteligência ), O filho do ex-presidente da República e atual vereador no Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro ( Republicanos ), foi alvo de buscas e apreensão na noite de domingo (28) e na manhã de segunda-feira (29). 


Espionagem ilegal, sem autorização da Justiça, está apurando o que a ABIN praticou quando realizou monitoramento e, portanto, investigações ilegais de cerca de 30.000 mil pessoas, sendo milhares de políticos, autoridades judiciais entre eles alguns membros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), bem como, centenas de Jornalistas em todo o país. 

O deputado federal e ex-diretor -geral da ABIN, Alexandre Ramagem é também um dos alvos da operação da Polícia Federal (PF). Em várias regiões do Brasil, as operações da PF estão sendo realizadas em função deste escândalo da ABIN. O ex-presidente Jair Bolsonaro também é investigado neste escândalo. Casa de praia com Jair Bolsonaro (PL), tambémn é alvo de buscas e apreensão. 

O uso do software espião FirstMile pela Abin, além de produção de relatórios de inteligência na gestão de Bolsonaro estão na mira da Polícia Federal (PF). Alguns dos servidores da ABIN já foram afastados por determinação do governo federal. O uso ilegal de espionagem no país é considerado crime, segundo a Constituição Federal. Trata-se de prática com características típicas do período da ditadura militar, quando havia perseguições políticas, mortes e desaparecimentos de pessoas em todo o país. 

Esta operação investigatória da PF busca combater eventuais irregularidades dentro do sistema de inteligência da ABIN. A suspeita, portanto, é de que durante o governo de Jair Bolsonaro (PL), a ABIN tenha através de ferramentas de espionagem, utilizado para monitorar, ilegalmente , opositores ao regime do governo Bolsonaro (PL), sendo inclusive, usada para beneficiar filhos do ex-presidente Jair Bolsonaro, quando supostamente tenha preparado relatórios a fim de abastecer a defesa tanto de Jair Renan e Flávio Bolsonaro, em supostas irregularidades, que segundo investigações da PF, estariam usados uma espécie de " estrutura paralela " da Abin em prol dos filhos de Bolsonaro sob investigações à epoca de seu governo.