ARGENTINA SOB TENSÃO DIANTE NOVOS PROTESTOS CONTRA OMNIBUS DE MILEI

Buenos Aires vivenciou na quarta-feira (31), fortes protestos populares contra o pacote de medidas do governo de Javier Milei. Diante do Congresso Nacional da Argentina, a mobilização popular enfrentou a repressão policial que buscava controlar o avanço de milhares de pessoas que tomavam as ruas ao entorno do prédio do Congresso deste país.

O governo da Argentina montou um forte esquema repressivo em torno do Parlamento. Muitos blocos de hidrantes de várias potências foram instalados nas proximidades a fim de conter os protestos populares.

As avenidas Rivadavia, Ayacucho e Corrientes, além da Mayo e 9 de Julio, ambas próximas do Parlamento, estavam tomadas por manifestantes. Diversos movimentos populares representativos de classes de trabalhadores da Argentina. uniram-se ao movimento contra a eventual aprovação da lei denominada Omnibus da reforma de Javier Milei.

A forte mobilização popular na Argentina mostra a rejeição à Lei Omnibus, do presidente recentemente eleito Javier Milei. O repúdio ao pacote destas novas medidas do governo Milei deverá continuar mesmo após haver a votação pelo Congresso da Argentina, prevê vários líderes da classe de trabalhadores argentinos.

Um dos grupos representativos da classe trabalhadora da Argentina - o Polo Obrero, enfatizou que se aprovada novas medidas do governo Milei, haverás perca e atrasos dos direitos trabalhistas no país, incluindo perdas democráticas e sociais. A CGT poderá convocar nova greve geral como fez há cerca de uma semana atrás.